Perfil/Mauricio Macri, o oposicionista conservador

Prefeito de Buenos Aires desponta como principal rival de Scioli

Mauricio Macri (centro) forjou sua imagem como presidente do Boca Juniors
Mauricio Macri (centro) forjou sua imagem como presidente do Boca Juniors (foto: EPA)
16:32, 21 NovBUENOS AIRES ZLR

(ANSA) - Mauricio Macri, prefeito de Buenos Aires, disputa pela primeira vez a Presidência da Argentina, como candidato da aliança de oposição "Cambiemos" ("Mudemos"), de centro-direita.

 

Aos 56 anos, o político conservador debutou na vida pública em 2003, como candidato a alcaide da capital, vencendo no primeiro turno, mas perdendo no segundo para o então prefeito Aníbal Ibarra, um moderado de esquerda.

 

A revanche de Macri se concretizou quatro anos depois, quando foi eleito ao derrotar Daniel Filmus, candidato apoiado pelo ex-chefe de Estado Néstor Kirchner. O presidenciável forjou sua imagem como mandatário do clube de futebol mais popular do país, o Boca Juniors, entre 1995 e 2007, período no qual conquistou 17 títulos, sendo 11 internacionais.

 

Ele diz que o que o motivou a entrar para a política foi o sequestro de 15 dias que sofreu em 1991. "Se não tivesse sido raptado, talvez minha vida pública não existisse", chegou a declarar. "Eu era apenas um engenheiro, pai de três filhos, que se ocupava principalmente do trabalho, da família e de si mesmo. Não me faltava nada, era bem sucedido. Quando digo que algo mudou naquele dia, acho que foi o fim de uma espécie de certeza ingênua que tinha sobre o futuro, uma segurança injustificada sobre como seria minha vida", conta o conservador em sua página oficial.

 

Macri foi reeleito prefeito de Buenos Aires em 2011, já com uma base eleitoral consolidada, ao menos no âmbito da capital argentina. Naquele ano, antes de apresentar sua candidatura, ele chegou a anunciar sua entrada na corrida presidencial, mas desistiu ao ver que não poderia derrotar Cristina Kirchner.

 

"Quero ser presidente porque estou convencido de que posso fazer com que todos os argentinos tenham uma vida mais feliz", disse o candidato da aliança "Cambiemos". O prefeito portenho é casado desde 2010 com Juliana Awada (seu terceiro matrimônio), uma empresária do setor de moda feminina, e é pai de quatro filhos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA