Macri pede ajuda ao FMI para frear alta do dólar

País quitou sua dívida com o fundo em 2005

Macri pede ajuda ao FMI para frear alta do dólar
Macri pede ajuda ao FMI para frear alta do dólar (foto: ANSA)
14:48, 08 MaiBUENOS AIRES ZLR

(ANSA) - O presidente da Argentina, Mauricio Macri, pediu ajuda ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para frear a escalada do dólar, que superou a barreira de 23 pesos, novo recorde.

Em uma breve mensagem divulgada nesta terça-feira (8), Macri disse ter entrado em contato com a diretora do FMI, Christine Lagarde, para obter uma "linha de apoio financeiro", quatro dias depois de o Banco Central do país ter aumentado sua taxa de juros para 40%, maior índice nominal do mundo.

Segundo o presidente, o pedido ao FMI é necessário para prosseguir no "único caminho que existe para sair dessa situação". Macri, que está no poder desde dezembro de 2015, culpou a herança "desastrosa" de sua antecessora, Cristina Kirchner, pela atual crise econômica na Argentina.

"Essa política do governo de equilibrar as contas públicas depois do desastre que herdamos, protegendo os setores vulneráveis e garantindo o crescimento, depende muito de financiamento externo", declarou Macri, sem dar mais detalhes sobre a linha que pretende obter com o FMI.

A Argentina pagou sua dívida com o fundo em 2005, durante o mandato de Néstor Kirchner, que, assim como Cristina, proibia as visitas do organismo para auditar a economia do país. As relações com o FMI só foram normalizadas após a posse de Macri.

O presidente convive com um cenário de inflação galopante e aumento nas tarifas de serviços básicos, o que provoca uma corrida aos dólares por parte de poupadores, pressionando a cotação da moeda norte-americana. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA