FMI aprova resgate de US$ 50 bilhões à Argentina

Objetivo do empréstimo é conter a escalada do dólar no país

Socorro do FMI foi pedido pelo presidente Mauricio Macri
Socorro do FMI foi pedido pelo presidente Mauricio Macri (foto: ANSA)
20:53, 20 JunNOVA YORK ZLR

(ANSA) - O conselho do Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou nesta quarta-feira (20) o empréstimo de US$ 50 bilhões para a Argentina, que vive uma crise cambial e pediu socorro para conter a escalada do dólar.

Segundo uma nota divulgada pelo FMI, Buenos Aires se compromete a "reforçar a economia do país e a recuperar a confiança do mercado por meio de um programa macroeconômico que reduza as necessidades de financiamento do país, coloque a dívida em uma trajetória de queda e reforce a independência do Banco Central".

O plano apresentado pelo governo de Mauricio Macri ainda apresenta medidas para "tutelar os mais frágeis, mantendo as despesas sociais". O empréstimo de US$ 50 bilhões é o maior concedido pelo FMI em toda a sua história e marca o retorno do fundo à Argentina depois de 13 anos.

Em 2005, durante o mandato de Néstor Kirchner, o país quitara sua dívida com a instituição e iniciara uma fase de relações hostis. O governo Macri recorreu ao FMI devido à grave crise cambial que atinge o país, com inflação galopante e alta desenfreada do dólar, que já é cotado acima de 27 pesos.

Recentemente, o presidente do Banco Central da Argentina, Federico Sturzenegger, renunciou ao cargo e deu lugar ao então ministro das Finanças do país, Luis Caputo, que é bastante próximo a Macri e levantou preocupações quanto à autonomia da instituição. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA