Argentino amigo do Papa e que visitou Lula é preso

Juan Grabois foi detido durante protesto em Buenos Aires

Juan Grabois (centro) após ser detido na Argentina
Juan Grabois (centro) após ser detido na Argentina (foto: MTE)
15:12, 19 SetBUENOS AIRES ZLR

(ANSA) - Um dos líderes do movimento social Confederação dos Trabalhadores da Economia Popular (Ctep), Juan Grabois, amigo do papa Francisco, foi detido nesta quarta-feira (19) enquanto participava de uma manifestação em Buenos Aires.

O ato acontecia em frente a uma delegacia e pedia a liberdade de militantes do Movimento de Trabalhadores Excluídos (MTE). Segundo os manifestantes, a polícia reprimiu o protesto violentamente, com balas de borracha e gás de pimenta.

Grabois, que é advogado, foi liberado algumas horas depois e disse ter sido detido "de forma arbitrária, com golpes e insultos", devido a seu "posicionamento político". O ativista é próximo da ex-presidente Cristina Kirchner, que é rival do atual mandatário do país, Mauricio Macri.

Nos ambientes católicos de Buenos Aires, asseguram que Grabois é um dos homens de maior confiança do papa Francisco no país, fruto de uma relação nascida em 2005, ao ponto de o advogado ter ocupado um cargo de assessor do Pontifício Conselho para a Justiça e a Paz, órgão extinto em 2017.

Em junho passado, o argentino ganhou notoriedade no Brasil ao levar a Luiz Inácio Lula da Silva um rosário supostamente enviado pelo próprio Jorge Bergoglio. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en