Pesquisadores descobrem 4 textos inéditos de García Márquez

Obras estavam em caixas doadas pela viúva do escritor

Gabriel García Márquez morreu em 2014.
Gabriel García Márquez morreu em 2014. (foto: ANSA)
16:40, 09 OutBOGOTÁ.9 OUT (ANSA) - Quatro textos inéditos do escritor colombiano Gabriel García Márquez vieram à tona após a viúva do autor doar um conjunto de caixas à biblioteca Luis Ángel Arango ZFD

(ANSA) - Quatro textos inéditos do escritor colombiano Gabriel García Márquez vieram à tona após a viúva do autor doar um conjunto de caixas à biblioteca Luis Ángel Arango, em Bogotá. Os contos foram reunidos no livro "Papeles de Gabo", organizado pelo Banco da República da Colômbia. Os textos foram escritos entre 1948 e 1952, período em que Gabo, como era conhecido o escritor, estudava Direito e trabalhava como jornalista no periódico colombiano "El Universal". Na época, o país vivia o "Bogotazo", revolta que culminou na morte do caudilho Jorge Eliézer Gaitán, na qual a casa onde Gabo morava foi incendiada.

Entre as obras descobertas, estão os "Relatos de las Barritas de Menta (contos das barrinhas de menta), cujo enredo se passa em Aracataca, cidade em que o escritor nasceu, e conta a história dos imigrantes italianos que foram trabalhar na United Fruit Company, empresa que foi envolvida no "Massacre das Bananeiras", em 1928, quando trabalhadores foram mortos por fazerem uma greve. O caso serviu de inspiração para o mais célebre livro do autor, "Cem Anos de Solidão".

Também foi descoberto o conto "Olor Antiguo" (cheiro antigo), que marca uma mudança no estilo do escritor, do kafkiano para uma forma de escrever mais próxima à do escritor britânico Ernest Hemingway. Outro texto revelado não tem título e acabou ficando fora da série "Relatos de um viajante Imaginário", publicada por Márquez no "El Heraldo", um jornal de Bogotá. O conto descreve o que acontece em uma pequena cidade durante o eclipse solar.

Da obra "El Ahogado Que Nos Traía Caracoles" (O afogado que nos trazia conchas", só restaram fragmentos. As 66 folhas de escritos do prêmio Nobel de Literatura de 1982, morto em 2014, serão expostas na biblioteca Luis Ángel Arango, em Bogotá. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA