Cristina Kirchner tem 2º dia de julgamento

14:53, 27 MaiSÃO PAULO ZBF
(ANSA) - A ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, tinha pedido para não comparecer ao Tribunal Comodoro Py, para o segundo dia de leituras do julgamento em que ela e outras 12 pessoas são acusadas de corrupção e desvio de verba pública.
    O advogado de Cristina, Carlos Beraldi, solicitou ao tribunal que ela fosse dispensada das sessões por três razões. A primeira é que já conhece detalhadamente o conteúdo do processo; a segunda é que deveria cumprir compromissos oficiais que poderiam coincidir com os horários das audiências; a terceira é que o deslocamento da ex-presidente ao tribunal envolve um grande operativo de segurança.
    Os juízes do caso, Jorge Gorini, Andrés Basso e Rodrigo Giménez Uriburu, autorizaram Cristina a não participar apenas se o julgamento coincidisse com alguma atividade vinculada à função oficial como senadora. Como não havia nenhuma atividade prevista para a ex-presidente, no Congresso argentino, ela compareceu hoje (27) ao Tribunal.
    O julgamento oral começou na terça-feira passada, com três horas de leitura dos autos do processo. A previsão é que essa primeira etapa - de leituras de acusações feitas pelo Ministério Público, o Escritório Anticorrupção e a Unidade de Informação Financeir - ainda leve mais duas sessões, pelo menos. Após a leitura, começará a etapa de questões preliminares e, em seguida, se darão as declarações indagatórias, que exigem obrigatoriamente a presença dos réus.
    O caso A acusação é de que Cristina e outros 12 ex-funcionários de seu governo favoreceram, entre 2004 e 2015, o empresário Lázaro Báez em contratos de 51 obras, o que representa 80% do total de obras públicas realizadas no período. De acordo com a Justiça, muitas das obras não foram concluídas, foram superfaturadas ou não eram necessárias.
    Além de Cristina e Báez, são julgados também Julio de Vido, ex-ministro do planejamento; José López, ex-secretário de obras públicas; e Carlos Kirchner, primo do falecido ex-presidente e marido de Cristina, Néstor Kirchner, todos eles atualmente presos. Há ainda outros 8 acusados que permanecem em liberdade após terem pago fiança.
    Cristina Kirchner tem 12 processos na Justiça, 5 julgamentos pendentes e 6 pedidos de prisão preventiva que nunca foram levados adiante devido ao foro privilegiado que tem como senadora. Em setembro, Cristina e os filhos serão ouvidos em outro processo, por lavagem de dinheiro.
    Fonte: Agência Brasil (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en