Dólar sobe e bolsa argentina despenca após derrota de Macri

Bolsa brasileira também foi afetada negativamente após eleição

Dólar sobe e bolsa argentina despenca após derrota de Macri (foto: EPA)
19:58, 12 AgoNOVA YORK ZCC

(ANSA) - O dólar comercial fechou em alta de 1,11%, a R$3,98, após bater R$4 ao longo desta segunda-feira (12). Já a Bolsa de Valores de São Paulo sofreu uma queda de 2%, a 101.915 pontos, enquanto que a Bolsa de Valores na Argentina entrou em colapso com a derrota do presidente Mauricio Macri nas primárias para as eleições de outubro.

Em meio a um caos nos mercados, a bolsa argentina caiu mais de 37% e o peso recuou quase 20%, chegando a uma cotação de 57,30 pesos por dólar.

O S&P Merval Index, um dos principais índices da Bolsa de Comércio de Buenos Aires, chegou a perder 48% no que é a segunda maior queda do mundo nos últimos 70 anos. O índice encerrou o dia em 37,93%.

Segundo a agência Bloomberg, a bolsa de valores do Sri Lanka perdeu 60% e fez seu pior resultado desde junho de 1989.

Hoje, o mercado mostrou grande nervosismo. O dólar fechou em alta afetado pela disputa comercial entre os Estados Unidos e China e também em decorrência das perspectivas que acarretam a contundente derrota de Macri.

Após o resultado da votação, o presidente argentino liderou uma reunião de gabinete nesta tarde e deu uma entrevista coletiva na qual não deu detalhes sobre os próximos passos, mas culpou os kirchneristas pelo caos no mercado. Segundo o líder argentino, a moeda nacional perdeu valor e o risco de país subiu porque seus rivais não inspiram confiança.

"Precisamos entender que o maior problema é que a alternativa kirchnerista não tem credibilidade no mundo, não gera confiança para que as pessoas venham investir. Eles deveriam fazer uma autocrítica", afirmou.

Além disso, Macri ressaltou que seu mau desempenho nas urnas pode ser considerada uma espécie de "bronca acumulada" pela "dureza" econômica enfrentada pelos argentinos. Para ele, sua proposta de mudança leva tempo para ser consolidada.

Brasil - A derrota de Macri também provocou críticas do presidente Jair Bolsonaro aos cidadãos argentinos. De acordo com o brasileiro, "a volta de Cristina Kirchner" colocará "a Argentina no caminho da Venezuela". Ele ainda afirmou que não quer "irmãos argentinos fugindo para cá".

"Povo gaúcho, se essa 'esquerdalha' voltar aqui na Argentina, nós poderemos ter, sim, no Rio Grande do Sul, um novo estado de Roraima. E não queremos isso: irmão argentinos fugindo pra cá, tendo em vista o que de ruim parece que deve se concretizar por lá caso essas eleições realizadas ontem se confirmem agora no mês de outubro", disse Bolsonaro. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA