'Argentina não pagará FMI até sair da recessão', diz Kirchner

Declaração foi dada pela vice durante feira do livro em Cuba

Declaração foi dada pela vice durante feira do livro em Cuba (foto: EPA)
17:52, 10 FevSÃO PAULO ZCC

(ANSA) - A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, declarou que seu governo não pagará "nem meio centavo" da dívida com o Fundo Monetário Internacional (FMI) enquanto o país enfrentar uma crise econômica.

"A primeira coisa que temos que fazer para poder pagar é sair da recessão", disse a política durante lançamento de seu livro "Sinceramente" na feira internacional do livro em Cuba.

"Ninguém vai pagar sequer meio centavo", acrescentou Cristina, ressaltando que a "forma de sair da recessão é por meio de muito investimento estatal".

O governo argentino necessita reestruturar US$100 bilhões em dívida com credores, incluindo já uma parte do empréstimo de US$57 bilhões que o Fundo Monetário Internacional concedeu ao país em 2018.

A declaração da vice, no entanto, vai de encontro com as propostas defendidas pelo presidente da Argentina, Alberto Fernández, na última semana.

Durante sua viagem pela Europa, o mandatário reiterou que pagará toda a dívida com o FMI quando a nação registrar "um crescimento sustentável". Na ocasião, ele disse esperar que todos "os pagamentos se posterguem até o final de 2023". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA