Argentina descobre variante do coronavírus do Rio de Janeiro

Cepa foi identificada por grupo de pesquisadores

Cepa foi identificada por grupo de pesquisadores
Cepa foi identificada por grupo de pesquisadores (foto: EPA)
16:18, 06 JanBUENOS AIRES ZCC

(ANSA) - Um grupo de pesquisadores da Argentina informou nesta quarta-feira (6) ter identificado uma nova variante do coronavírus Sars-CoV-2 no país proveniente do Rio de Janeiro, estado brasileiro.

Segundo os estudos, esta nova mutação do vírus causador da Covid-19 foi encontrada em uma amostra dos cientistas da Administração Nacional de Laboratórios e Institutos de Saúde (ANLIS-Malbrán), que realizam vigilância ativa dos genomas das cepas que circulam no país.

Recentemente, Reino Unido, África do Sul e Brasil já haviam descoberto mutações.

"Seguindo o sequenciamento dos últimos genomas em novembro e dezembro encontramos um em que pudemos identificar as seis mutações correspondentes à variante carioca", explicou Josefina Campos, pesquisadora do Instituto Anlis-Malbrán.

A variante do Rio de Janeiro, derivada do gênero B.1.1.28, está localizada no território brasileiro desde outubro passado. "Entre as seis mutações que ele contempla, há uma que é a proteína spike que reduz os efeitos neutralizantes dos anticorpos monoclonais e do plasma de pacientes convalescentes", acrescentou.

O estudo das variantes é feito na Argentina com uma tecnologia de última geração que detecta Sars-CoV-2 "com testes nasais, nasofaríngeos e orofaríngeos de pacientes com suspeita de infecções por Covid-19".

De acordo com o novo relatório epidemiológico, o país registrou a 8.222 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de infecções no país vizinho para 1.648.940 desde o início da pandemia. Ao todo, 147.223 contágios ainda estão ativos e 43.634 pessoas perderam a vida.

Nesta terça-feira (5), a Argentina completou uma semana do início da campanha de vacinação contra o novo coronavírus, em um contexto de forte alta dos casos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA