Municípios podem ser descredenciados do Mais Médicos

Informou o ministro da Saúde, Arthur Chioro

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta terça-feira (22) a lei que institui o programa Mais Médicos
A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta terça-feira (22) a lei que institui o programa Mais Médicos (foto: Franco Rithele/ Futura Press/ Estadão Conteúdo)
12:35, 10 FevSÃO PAULO EBA

(ANSA) - O ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse que determinou uma operação "pente-fino" para notificar administrações que não cumprem as contrapartidas no programa Mais Médicos.
    Segundo o ministro, essas prefeituras deixarão de receber os profissionais da terceira etapa do Mais Médicos - são até 2.900 profissionais que começarão a trabalhar no início de março. Os municípios que continuarem, mesmo após a notificação, a deixar de pagar os auxílios moradia, alimentação e de transporte serão descredenciados do programa, segundo o ministro.
    "O governo federal não admite que os municípios deixem de cumprir seu papel. Todas as partes precisam seguir à risca o acordo de cooperação para que os profissionais trabalhem com as devidas condições. Em um prazo curto, todos teremos a garantia de que estaremos cumprindo nossos compromissos." Chioro disse que determinou "rigor" nesse acompanhamento, a cargo do secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mozart Sales. Onde for detectada alguma irregularidade, o município será notificado e terá cinco dias para preparar a resposta. Em seguida, a coordenação estadual do programa, com representantes do ministério, do Estado e da prefeitura, aguardará até 15 dias para que a situação se normalize. Caso isso não aconteça, o município será descredenciado do programa.Com informações de Estadão Conteúdo.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA