Brasil é o 103º país no ranking de liberdade de imprensa

País está entre os mais violentos da Am.do Sul para a profissão

Brasil é o 103º país no ranking de liberdade de imprensa
Brasil é o 103º país no ranking de liberdade de imprensa (foto: ANSA)
15:10, 26 AbrSÃO PAULO ZBF

(ANSA) - O Brasil ficou na 103ª posição no ranking mundial de liberdade de imprensa, que analisa 180 países, e foi divulgado ontem (26) pela ONG Repórteres Sem Fronteiras em sua análise anual sobre violação de liberdades de jornalistas.

Segundo a ONG, o Brasil continua sendo um dos países mais violentos da América Latina para a prática do jornalismo. No relatório, a ONG também afirma que a ausência de um mecanismo nacional de proteção para jornalistas em situação de risco, juntamente com o clima de impunidade - alimentado pela corrupção desenfreada e pela instabilidade política -, ilustrada pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 2016, tornam mais difícil a atividade jornalística no país.

A organização criticou ainda o panorama da mídia que, segunda ela, continua altamente concentrado, "especialmente em torno de grandes famílias industriais, muitas vezes próximas à classe política".

Em 2015, o Brasil chegou a ocupar a 99ª posição da classificação, mas despencou. O primeiro lugar do ranking ficou para a Noruéga, que atualmente é considerada livre de qualquer censura ou pressão política, além de a violência contra profissionais da comunicação ser raríssima. Em contrapartida, o último lugar foi ocupado pela Coreia do Norte, que vive desde 2012 sob o regime ditatorial de Kim Jong-un. Os Estados Unidos ficaram em 43º no ranking geral.

Na Europa, o 16º lugar foi para a Alemanha, o 39º para a França e o 40º para o Reino Unido. A Itália, por sua vez, ficou em 52ª posição.

A ONG afirmou que o país ainda tem um nível de violência contra jornalistas, além de estes sofrerem ameaças da máfia e forte pressão política.

 Na América Latina, a Argentina ficou em 50º lugar, enquanto a Venezuela ficou com a 137ª posição. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA