Navio italiano é invadido por piratas em Santos

Suspeita é de que grupo usou embarcação para esconder cocaína

Quadrilha de 'piratas' usa lancha para invadir navio perto do porto de Santos (foto: Divulgação)
16:26, 13 AgoSÃO PAULO ZCC

(ANSA) - Um grupo de homens armados invadiu neste domingo (12) o navio de bandeira italiana "Grande Francia", ancorado a cerca de 15 km do Porto de Santos, no litoral de São Paulo, e rendeu os tripulantes. A Polícia Federal (PF) informou hoje (13) que havia 1,3 tonelada de cocaína a bordo.
   

Segundo as autoridades, uma investigação em conjunto entre a Receita Federal e a Polícia Federal foi aberta para determinar se a droga foi colocada no navio pelos "piratas". A substância foi descarregada e a embarcação foi retida.

"Grande Francia", da armadora Grimaldi, foi invadido no Fundeadouro 4, enquanto aguardava a liberação para acessar o cais e atracar no terminal do Porto. Na ocasião, pelo menos quatro pessoas subiram no convés com a ajuda de uma corda, de acordo com as investigações. Logo depois, o capitão foi avisado da ação por meio dos tripulantes.

"Imediatamente quando percebeu a situação, o comandante disparou o alarme de pânico e trancou o passadiço. O aviso serviu de alerta para os demais tripulantes também se trancarem onde estavam", explicou Luciana Fuschini, delegada da Polícia Federal, à imprensa brasileira.
   

O episódio teve duração de cerca de duas horas. Após revirarem dois contêineres, os criminosos conseguiram fugir do local com a ajuda de um barco de cinco metros de comprimento. A principal linha de investigação é de que os bandidos simularam um ataque para embarcar a cocaína.
   

"Verificamos, na verdade, que os contêineres abertos e revirados eram uma distração para todos. Em outros dois contêineres, encontramos 41 bolsas pretas, algumas ainda molhadas, que estavam com mais de 1,2 mil tabletes de cocaína" - total de 1.322 quilos -, completou a delegada.

Outra hipótese cogitada pela polícia é de que a droga tenha sido embarcada na Argentina, de onde o navio havia partido. A suspeita é de que a substância seria levada para o porto de Antuérpia, na Bélgica, considerada uma das principais entradas de remessas ilegais de cocaína na Europa. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA