Jovens matam 8 pessoas e se suicidam em escola de Suzano

Os atiradores eram ex-alunos do colégio

Jovens matam 8 pessoas e se suicidam em escola de Suzano (foto: EPA)
20:31, 13 MarSÃO PAULO ZBF

(ANSA) - Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, 25, autores do massacre que deixou oito mortos e nove feridos na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano (SP), eram ex-alunos do colégio.

A informação foi confirmada pelo secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campos, em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (13). "Esse é um dos dias mais tristes da minha vida", declarou.

Segundo o secretário, a ação começou quando os atiradores roubaram um veículo branco em uma locadora e atiraram no dono do estabelecimento, que teria parentesco com um dos dois jovens. O homem baleado, Jorge Antônio de Moraes, chegou a ser socorrido, mas morreu.

Em seguida, eles dirigiram até a escola e conseguiram entrar, mas ainda não se sabe como. Campos ressaltou que Monteiro estudou na E.E. Raul Brasil até o ano passado, o que pode ter facilitado o acesso. Os dois atiradores só teriam colocado as máscaras do lado de dentro.

Vítimas

A primeira vítima da dupla na escola foi a coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos. Outra funcionária, Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38, também faleceu.

Os outros cinco mortos eram alunos de Ensino Médio e tinham entre 15 e 17 anos: Caio Oliveira, Claiton Antônio Ribeiro, Kaio Lucas da Costa Limeira, Douglas Murilo Celestino e Samuel Melquíades Silva de Oliveira. O massacre ocorreu durante o horário de intervalo das aulas.

"Eles estavam prestes a entrar em uma sala com dezenas de alunos, mas se depararam com a força tática e cometeram suicídio", contou o secretário de Segurança Pública. A polícia disse que os agressores também carregavam uma besta, um arco e flecha, coquetéis molotov e uma machadinha.

Segundo os investigadores, Monteiro atirou em Castro e depois se suicidou. Os dois já teriam um pacto para tirar as próprias vidas.

Doria

O governador de São Paulo, João Doria, visitou a escola nesta manhã e disse que viu a cena "mais triste" de sua vida. "Estou muito impactado com o que vi nessa escola. Quatro adolescentes foram brutalmente assassinados [o quinto jovem faleceria pouco depois]. E fico muito triste que um fato como esse ocorra no estado de São Paulo", disse o tucano, visivelmente abalado.

A escola chegou a ser interditada devido à suposta presença de materiais explosivos, que acabou não confirmada. O colégio Professor Raul Brasil tem cerca de 1,6 mil alunos, do sexto ano do Ensino Fundamental ao terceiro do Ensino Médio. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA