Bolsonaro condena atentados no Sri Lanka

Série de ataques deixou mais de 200 mortos no país

Bolsonaro condena atentados no Sri Lanka
Bolsonaro condena atentados no Sri Lanka (foto: EPA)
12:50, 21 AbrSÃO PAULO ZBF

(ANSA) - O presidente Jair Bolsonaro condenou a série de atentados que deixou mais de 200 mortos e 400 feridos no Sri Lanka, neste domingo (21), durante as celebrações de Páscoa.

 "Mesmo neste dia sagrado, o extremismo deixa rastros de morte e dor. Em nome dos brasileiros, condeno os ataques que deixaram centenas de vítimas no Sri Lanka, inclusive em igrejas, onde se celebrava a Ressurreição de Cristo. Que Deus possa confortar os que agora sofrem!", escreveu o mandatário, em sua conta no Twitter.
 


Uma série de ao menos oito ataques à bomba contra três igrejas e quatro hotéis deixou 207 mortos no Sri Lanka. Das vítimas, há pelo menos 35 cidadãos estrangeiros, além de 400 feridos. As primeiras seis explosões ocorreram às 8h45 locais (23h30 de sábado, em Brasília), em três hotéis de luxo e em uma igreja da capital do Sri Lanka, Colombo.

Em seguida, ocorreram explosões em igrejas das cidades de Katana e Batticaloa. O sétimo atentado ocorreu no começo da tarde local, em uma pousada no centro de Colombo. O oitavo ataque foi contra um condomínio residencial, também na capital do país. As autoridades do Sri Lanka recomendaram que as pessoas fiquem dentro de casa para que a situação seja controlada.

Também foi declarado estado de emergência e o governo impôs toque de recolher das 18h às 6h (horário local), além de anunciar que bloquearia temporariamente o uso das principais redes sociais no país.

De acordo com o ministro da Defesa do Sri Lanka, Ruwan Wijewardane, sete pessoas foram presas sob suspeita de ligação com os atentados. Nenhum grupo ou organização, porém, reivindicou os atentados até o momento.

A polícia afirma que a maioria dos ataques foi suicida. No Sri Lanka, os cristãos representam apenas 7% da população, enquanto os budistas são cerca de 70%, os hinduístas , 15% e os muçulmanos, 11%. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA