STF decide libertar acusado de terrorismo pelo governo turco

Ali Sipahi estava preso desde 5 de abril em São Paulo

Ali Sipahi, 31 anos, é acusado pela Turquia de ligação com o movimento 'Hizmet'
Ali Sipahi, 31 anos, é acusado pela Turquia de ligação com o movimento 'Hizmet' (foto: Divulgação)
09:19, 08 MaiSÃO PAULO ZCC

(ANSA) - O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta terça-feira (7) libertar o turco naturalizado brasileiro Ali Sipahi, detido em São Paulo desde o dia 5 de abril sob a acusação de terrorismo pela Turquia.

O empresário é dono de um restaurante na capital paulista e foi acusado por Ancara de "integrar uma organização terrorista que, em 2016, tentou um golpe armado contra o presidente da Turquia", Recep Tayyip Erdogan, segundo o STF.

Sipahi, de 31 anos, teria ligação com o movimento "Hizmet" ("Serviço", em turco), liderado pelo clérigo e magnata Fethullah Gulen, que vive exilado nos Estados Unidos e é o principal desafeto de Erdogan.

A decisão de Fachin foi publicada no site do STF e confirmada pela defesa do empresário. Ainda não se sabe a data exata de quando ele será solto.

No despacho, o ministro determinou ainda que Sipahi seja monitorado com tornozeleira eletrônica; não deixe São Paulo sem prévia autorização judicial; devolva seu passaporte; e se recolha no período noturno em sua residência.

Com a medida, o turco poderá ficar solto até que a justiça brasileira tome a decisão final sobre o pedido de extradição.

Sipahi é naturalizado brasileiro e tem um filho nascido no país, onde vive desde 2007. De acordo com a lei nacional, a extradição de um cidadão do Brasil só é permitida caso ele seja acusado por crimes comuns cometidos antes da naturalização. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA