'Diálogo nacional' na Nicarágua começará na quarta-feira

Negociações para pacificar o país são mediadas pela Igreja

"Nossas ruas choram nosso sangue", diz mensagem em muro na Nicarágua (foto: EPA)
21:14, 14 MaiMANÁGUA ZLR

(ANSA) - A Conferência Episcopal da Nicarágua anunciou nesta segunda-feira (14) que o "diálogo nacional" proposto pelo presidente Daniel Ortega começará na próxima quarta (16), "ainda que as condições não sejam as ideais".

O arcebispo da capital Manágua, cardeal Leopoldo Brenes, leu um comunicado no qual especifica que as negociações terão início às 10h (horário local), no Seminário Nacional de Fátima. A Igreja exerce o papel de mediadora a pedido do próprio Ortega e havia dito que deixaria as tratativas caso não visse sinais de "avanços" por parte do governo sandinista.

"Pedimos respeitosamente que todos os setores do governo e o restante da sociedade, em apoio a este diálogo nacional, se esforcem para manter um ambiente favorável à tolerância, sobretudo no que diz respeito a manifestações pacíficas", diz o texto.

Os protestos na Nicarágua já duram quase três semanas e foram desencadeados por uma proposta de Ortega para reformar a previdência. Após o governo desistir do projeto, o foco passou a ser a repressão contra os atos, que já deixou cerca de 50 mortos.

O presidente aceitou que a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (Cidh) envie uma missão para investigar possíveis violações no país. O órgão é ligado à Organização dos Estados Americanos (OEA). O ex-guerrilheiro sandinista está em seu quarto mandato no poder, sendo o terceiro seguido, e governa a Nicarágua ininterruptamente desde 2007. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA