Bachelet envia projeto de casamento igualitário a Congresso

Medida incluirá a filiação e adoção de crianças por casais gays

Bachelet envia projeto de casamento igualitário a Congresso (foto: EPA)
16:00, 28 NovROMA ZBF

(ANSA) - A presidente do Chile, Michelle Bachelet, enviou para o Congresso nesta segunda-feira (28) o projeto de lei de casamento igualitário, o qual inclui também a filiação e adoção por homossexuais.

O projeto busca redefinir o conceito atual de matrimônio no país, que hoje em dia considera apenas a união entre um homem e uma mulher. Com a lei, o casamento passaria a ser interpretado como uma "união entre duas pessoas", disse Bachelet.

Ainda segundo a presidente, os preconceitos devem ser eliminados. "Os preconceitos antigos não podem ser mais fortes do que o amor. Por isso, e tal como me comprometi, hoje o Chile dá um passo histórico ao firmar o projeto de lei de casamento igualitário", declarou.

Já sobre o direito de filiação e adoção por homossexuais, Bachelet defendeu que uma família é "mais do que nomes". "Uma criança poderá ser adotada indistintamente por um casal heterossexual, ou homossexual, pelo único fato de serem cônjuges, sem necessidade de modificar a lei de Adoções", disse.

Bachelet deixará o cargo em março de 2018 e deseja cumprir uma de suas promessas da campanha eleitoral de 2013. Com o envio do projeto ao Congresso, o processo deverá ser encerrado somente na próxima gestão.

A presidente do Chile também teve o que comemorar na semana passada, após o Tribunal Constitucional ter aprovado o projeto de aborto terapêutico, promovido por Bachellet. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA