Sequestrador de Washington Olivetto é extraditado ao Chile

Mauricio Norambuena foi condenado a 30 anos de prisão pelo crime

Sequestrador de Washington Olivetto é extraditado ao Chile
Sequestrador de Washington Olivetto é extraditado ao Chile (foto: Divulgação)
14:12, 20 AgoSANTIAGO ZRS

(ANSA) - O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou nesta terça-feira (20) que o ex-guerrilheiro chileno Mauricio Hernández Norambuena foi extraditado para o seu país natal.

Moro divulgou a informação através de suas redes sociais e destacou que o Brasil "não é refúgio para criminosos". Segundo o ministro, a extradição foi autorizada pelo Superior Tribunal Federal (STF).

"Mais um criminoso que se foi. Extraditado com autorização do STF, foi entregue nessa madrugada ao Chile para cumprir as penas, comutada a perpétua para 30 anos, as quais foi condenado naquele país. Brasil não é refúgio para criminosos", escreveu Moro.

Já o presidente da República, Jair Bolsonaro, publicou em suas redes sociais que sua política é "cooperar com outros países e não dar abrigo para criminosos ou terroristas".

"Vencidos problemas burocráticos entre Brasil e Chile, hoje estamos extraditando Norambuena, sequestrador do publicitário Washington Olivetto em 2001.Em 1991 Norambuena foi condenado no Chile pelo assassinato do Senador Jaime Guzmán", publicou Bolsonaro.

A extradição do ex-militante da Frente Patriótica Manuel Rodríguez, que é conhecido como "Comandante Ramiro", também foi confirmada pelo ministro da Justiça do Chile, Hernán Larraín, Norambuena havia sido condenado a 30 anos de reclusão por conta do sequestro do publicitário Olivetto em 2001, em São Paulo. O empresário foi libertado do cativeiro após quase três meses .

Além disso, o ex-guerrilheiro possui duas condenações à prisão perpétua no Chile, pelo assassinato do senador Jaime Guzmán e pelo sequestro do empresário Cristián Edwards.

O chileno deixou o Brasil em um voo militar que saiu do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA