Santos afirma que paz com as FARC foi sua 'melhor decisão'

O presidente da Colômbia deixa o cargo para o eleito Ivan Duque

Santos afirma que paz com as FARC foi sua 'melhor decisão' (foto: EPA)
09:52, 07 AgoBOGOTÁ ZBF

(ANSA) - Finalizando seu mandato nesta terça-feira (7), o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, disse que o acordo de paz assinado com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) foi "a melhor decisão" que poderia ter tomado em oito anos de governo.

"Entregamos um país muito melhor do que aquele que recebemos há oito anos", afirmou o secretário-geral da presidência Alfonso Prada. "Hoje, entregamos um país muito melhor", enfatizou.

Como feitos positivos, Prada destacou a redução dos níveis de violência no país, e os efeitos atribuídos ao acordo de paz alcançado com as FARC, agora convertidas em partido político.

Santos também tentou um acordo de paz, que incluía uma trégua militar definitiva, com o Exército de Libertação Nacional (ELN), com quem negocia há mais de 17 meses, mas que agora ficará a cargo de seu sucessor, Iván Duque.

Balanço: De 488 militares e policiais mortos em 2010, o número caiu para 83 em 2017. Essa redução deixou o pavilhão que atendia os feridos em combate, no Hospital Militar, sem pacientes.

Ainda, desde 2010, segundo dados do Departamento Administrativo Nacional de Estatística (DANE), 5,4 milhões de colombianos superaram a pobreza e o governo entregou mais de 1,5 milhão de habitações a famílias desabrigadas.

A taxa de desemprego abaixou de 11,6% em 2010 a 9,1% neste ano, mas, por outro lado, a dívida externa do país cresceu de U$ 64 bilhões a U$126 bilhões de dólares, segundo estatísticas do Banco da República. Outro ponto baixo da administração Santos foi a taxa de hectares cultivados com cocaína, que bateram o recorde de 209 mil hectares, superando os 62 mil de 2010, segundo o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA