Colômbia vive segunda greve geral contra governo Duque

Protestos causam prejuízo de US$ 44 milhões por dia ao país

Colômbia vive segunda greve geral contra governo Duque
Colômbia vive segunda greve geral contra governo Duque (foto: EPA)
16:07, 28 NovBOGOTÁ ZBF

(ANSA) - Com a participação de milhares de pessoas, a Colômbia viveu ontem (27) a segunda greve geral contra o governo do presidente Iván Duque.

A marcha de ontem marcou o sétimo dia consecutivo de manifestações contra as propostas econômicas do governo Duque, como aumento da idade mínima para aposentadoria e corte no salário mínimo. Na maior parte da greve, o protesto ocorreu de maneira pacífica, como em Cali, Cartagena e Barranquilla. Houve, porém, destruição em estações da capital Bogotá e confrontos com a polícia em Pereira.
   

A primeira greve, ocorrida há uma semana, reuniu 250 mil colombianos. O nome do estudante Dilan Cruz, de 18 anos, que morreu após ser atingido por um cartucho de gás lacrimogêneo na cabeça, foi recordado pelos manifestantes. "Dilan não morreu, Dilan foi morto", diziam nas marchas.

De acordo com o presidente da Federação Nacional de Comerciantes (Fenalco), Jaime Alberto Cabal, os protestos geram um prejuízo de US$ 44 milhões por dia à economia da Colômbia. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA