Pela 1ª vez, eleição em Cuba não terá um 'Castro' na disputa

Sessão parlamentar começa nesta quarta e vai durar dois dias

Pela 1ª vez, eleição em Cuba não terá um 'Castro' na disputa (foto: Ansa)
22:38, 17 AbrHAVANA Por Francisco Forteza

(ANSA) - Cuba iniciará nesta quarta-feira (18) a sucessão de Raul Castro, que continuará liderando o Partido Comunista, com os olhos postos em Miguel Diaz-Canel, líder que nasceu após o triunfo da Revolução e que, se eleito, se tornará o primeiro a chegar ao poder sem o sobrenome mais famoso da ilha. O início da histórica sessão eleitoral do novo presidente da Assembleia Nacional do Poder Popular foi antecipado para amanhã.
   

Castro anunciou que não buscará a reeleição no cargo, que assumiu em 2008, abrindo caminho para uma nova geração de líderes comunistas que não lutaram na Sierra Maestra.
   

A antecipação foi "adotada para facilitar o desenvolvimento das etapas exigidas por uma sessão de tal importância", explicou uma nota oficial sobre a decisão do Conselho de Estado. De acordo com o breve programa, o pleito será encerrado somente na quinta-feira (19). O processo eleitoral, desta forma, durará dois dias em vez de um, como foi originalmente anunciado.
   

O regulamento para essas eleições no órgão parlamentar explica que os 605 deputados eleitos em março analisarão e aprovarão as candidaturas apresentadas por uma comissão especializada.
   

Isso ocorre desde a criação, em meados dos anos 1970, do sistema do Poder Popular em Cuba, quando o falecido líder cubano Fidel Castro foi eleito. Em 2008, já doente, renunciou à sua candidatura e seu irmão Raul Castro o substituiu. A princípio, todos os deputados têm o direito de ser incluídos nas candidaturas. No entanto, em Cuba, apenas o primeiro vice-presidente, Miguel Díaz-Canel, é mencionado como sucessor do cargo de Castro. Díaz-Canel é um político e ex-professor universitário cubano.
   

Ele foi apresentado pelo próprio Raúl Castro, quando foi eleito primeiro vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros nas eleições de fevereiro de 2013. Ele é o primeiro líder cubano nascido após a revolução a alcançar essa posição.
   

O político nasceu na província central de Villa Clara e completará 58 anos no dia 20 de abril. Seu estilo político inclui gestos como o ocorrido durante sua votação nas eleições de março passado, quando foi apresentado ao colégio eleitoral acompanhado de sua família.
   

Outros candidatos possíveis citados "nas ruas" em Cuba para posições proeminentes no governo são Mercedes López Acea, primeiro secretária do Comitê Provincial do Partido em Havana, Lázaro Expósito, no mesmo cargo do Partido, mas em Santiago de Cuba, e o ministro das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez.
   

Por sua idade, nem Diaz-Canel e os outros líderes mencionados são membros da "geração histórica" que participaram na guerra contra o regime de Fulgencio Batista, derrubado pela revolução armada em 1º de Janeiro de 1959. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA