Governo dos EUA restringe viagens e remessas a Cuba

Casa Branca tenta sufocar apoio de Havana a Nicolás Maduro

Carro em frente à embaixada dos EUA em Havana
Carro em frente à embaixada dos EUA em Havana (foto: ANSA)
19:52, 18 AbrNOVA YORK ZLR

(ANSA) - O governo dos Estados Unidos anunciou que limitará as viagens e o envio de remessas financeiras para Cuba, a quem Donald Trump acusa de sustentar o regime de Nicolás Maduro na Venezuela.

A medida faz parte de um pacote de ações da Casa Branca para aumentar a pressão sobre Havana, que inclui também a autorização para a abertura de processos na Justiça sobre propriedades confiscadas na Revolução de 1959.

"Havana continua ajudando Maduro, que é simplesmente um fantoche de Cuba", disse nesta quarta-feira (17) o conselheiro para Segurança Nacional do governo Trump, John Bolton, em um evento em Miami com a comunidade cubana.

Segundo ele, as restrições serão voltadas às "viagens não familiares". Já os novos limites às remessas ainda não foram divulgados. As medidas revertem o processo de abertura iniciado por Barack Obama, que chegou até a se reunir com Raúl Castro em Cuba.

Também na quarta, o governo Trump autorizou uma norma que permite a abertura de processos nos EUA contra empresas estrangeiras que administrem bens confiscados pela Revolução. A iniciativa foi criticada pela União Europeia, que mantém a reaproximação com Cuba.

"A UE reitera sua forte oposição à aplicação extraterritorial de medidas unilaterais restritivas e contrárias ao direito internacional", disse um porta-voz da Comissão Europeia, acrescentando que o bloco está pronto para defender seus interesses na ilha. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA