Sob acusação de fraude, Lenín Moreno é eleito novo presidente do Equador

Mais de 96% das urnas foram apuradas até o momento

Lenín Moreno lidera eleições no Equador (foto: EPA)
12:13, 03 AbrQUITO ZGT

(ANSA) - Com 99,02% dos votos apurados, o candidato governista Lenín Moreno foi eleito o novo presidente do Equador com 51,16% enquanto o opositor, o banqueiro Guillermo Lasso aparece com 48,84% dos votos.

Apesar do resultado final ainda não ter sido anunciado oficialmente, Lasso pediu a recontagem dos votos nesta segunda-feira (3) por conta de uma suposta "fraude" favorável ao candidato governista.

"A minha equipe está trabalhando para apresentar uma série de objeções.. conversei com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos e vou defender a vontade do povo perante essa fraude", disse Lasso ressaltando que Moreno teria um "governo ilegítimo".

Por sua vez, o candidato do presidente Rafael Correa, declarou-se vencedor. "Estou muito emocionado, um explosão de emoções dentro do meu coração. Obrigado aos milhares de equatorianos que nos apoiaram. Hoje ganhou a democracia, hoje ganhou o Equador", escreveu em seu Twitter.

Em suas postagens, Moreno ainda destacou que será "o presidente de todos" e que irá fazer "o governo mais limpo da história".

Moreno assumirá o governo após os 10 anos de mandato de Correa e terá que lidar com o escândalo de corrupção envolvendo a construtora Odebrecht, que confessou ter pago propinas de cerca de US$ 335 milhões à autoridades do país entre os anos de 2007 e 2016.

Outro fator importante do resultado eleitoral é que o fundador do Wikileaks, Julian Assange, que mora há anos na embaixada do Equador em Londres, não deve ter sua situação alterada. Caso a vitória fosse de Lasso, Assange precisaria abandonar o local, sendo preso pelas autoridades britânicas. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA