Equador inicia referendo que decidirá futuro de Rafael Correa

Votação foi convocada pelo atual presidente Lenín Moreno

Equador inicia referendo que decidirá futuro de Rafael Correa (foto: EPA)
14:24, 04 FevQUITO ZCC

(ANSA) - O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) do Equador abriu neste domingo (4) as mesas de votação para a consulta popular e referendo que definirão o futuro político do ex-presidente Rafael Correa.
   

Convocada pelo atual chefe de Estado, Lenín Moreno, a inesperada disputa tem diminuído a popularidade e a influência de Correa, que governou o país entre 2007 e 2017. Além disso, reavivou uma tensão entre os dois. Antes das últimas eleições, eles compartilhavam partido, ideologia e amizade.

Os cidadãos são chamados a votar por "sim" ou "não" em sete questões: cinco via referendo, que implicam mudanças na Constituição, e duas via consulta popular, para derrogar ou reformar leis menores. Todos os questionamentos estão vinculados com corrupção, reeleição, natureza, mineração e delitos sexuais contra menores.
   

De acordo com o censo eleitoral, estão convocados 13.026.598 equatorianos nas 24 províncias do país, que poderão exercer o direito e obrigação do voto em mais de 35.105 colégios eleitorais. As pesquisas mostram uma clara vitória do "sim", a favor de Moreno.
   

A votação para os residentes no Equador é obrigatória, exceto para os menores entre 16 e 18, maiores de 65 e outros coletivos como militares e policiais, enquanto que para os que vivem no exterior é voluntária.

Estima-se que os resultados finais da consulta serão conhecidos nas próximas 48 horas. No entanto, no início da noite deste domingo (4) serão divulgadas as primeiras apurações. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA