WikiLeaks diz que Assange será expulso de embaixada

Ativista recebe asilo do Equador há quase sete anos

Julian Assange vive na Embaixada do Equador em Londres desde junho de 2012
Julian Assange vive na Embaixada do Equador em Londres desde junho de 2012 (foto: EPA)
09:01, 05 AbrNOVA YORK ZLR

(ANSA) - O WikiLeaks denunciou nesta sexta-feira (5) que seu fundador, o australiano Julian Assange, será expulso da Embaixada do Equador em Londres em questão de "horas ou dias" e que já há um acordo com as autoridades do Reino Unido para prendê-lo.

Em uma mensagem no Twitter, a plataforma diz que a informação chegou de uma "fonte de alto nível" do Estado equatoriano. A possível expulsão de Assange, que vive na sede diplomática desde junho de 2012, seria uma reação a denúncias de corrupção envolvendo o presidente Lenín Moreno.

Recentemente, o mandatário equatoriano acusou o fundador do WikiLeaks de ter violado as condições de seu asilo e disse que tomaria uma decisão "em curto prazo". Moreno ainda destacou que há evidências de "espionagem e pirataria".

A Embaixada do Equador em Londres está cercada por jornalistas, mas ainda não há nenhum sinal concreto de uma eventual expulsão de Assange. Ele é alvo de um mandado de prisão emitido pela Justiça britânica em função de uma denúncia de abuso sexual na Suécia, já arquivada pela magistratura local.

O australiano diz que o mandado é uma maneira de facilitar sua extradição para os Estados Unidos. Em dezembro passado, Moreno disse ter recebido "garantias suficientes" para permitir que Assange deixe a sede diplomática, mas a proposta foi recusada pelo ativista. Ele pode ser processado nos EUA pela divulgação de documentos diplomáticos secretos, em 2010. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA