Ex-detento de Guantánamo foge do Uruguai pelo Brasil

Jihad Ahmed Diyab havia sido acolhido pelo país em 2014

Imagem da prisão norte-americana de Guantánamo, em Cuba
Imagem da prisão norte-americana de Guantánamo, em Cuba (foto: EPA)
17:53, 17 JunMONTEVIDÉU ZLR

(ANSA) - Jihad Ahmed Diyab, um dos seis ex-detentos de Guantánamo acolhidos pelo Uruguai após um acordo com os Estados Unidos, fugiu do país pela fronteira com o Brasil.

 

Segundo a imprensa local, as autoridades de Montevidéu perderem os rastros do ex-presidiário e agora não sabem onde ele se encontra. Diyab, de 44 anos, nasceu no Líbano de pai sírio e mãe argentina e há alguns meses já havia tentado entrar no território brasileiro, mas sem sucesso.

 

Ainda de acordo com jornais uruguaios, ele é o mais "rebelde" dos seis ex-detentos acolhidos pelo governo do então presidente José Mujica em dezembro de 2014. "É errado dizer que ele fugiu. O Uruguai não pode impedi-lo de sair do país, ele tem uma permissão de viagem que serve como um passaporte. Se decidir retornar à Síria, perderá seu status de refugiado, mas se voltar, não haverá nenhum problema", minimizou Christin Mirza, agente público designado por Montevidéu para acompanhar o grupo.

 

No entanto, não há registros da passagem de Diyab pelos controles migratórios brasileiros. Ele já chegou a acusar o Uruguai de não ter cumprido o que havia sido prometido e desaconselhou outros prisioneiros de Guantánamo a se mudarem para o país latino. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA