Presidente do Uruguai demite militares por omissão sobre morte na ditadura

Torturador que confessou ter jogado corpo no rio não foi julgado

Presidente do Uruguai demite militares por omissão sobre morte na ditadura
Presidente do Uruguai demite militares por omissão sobre morte na ditadura (foto: EPA)
18:03, 01 AbrMONTEVIDÉU ZCC

(ANSA) - O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, destituiu nesta segunda-feira (1) o ministro da Defesa, Jorge Menéndez; o subsecretário da pasta, Daniel Montiel; e o chefe do Exército, José González; além de outros dois generais.

A informação foi revelada pela imprensa local e afirma que todos são acusados de ter se omitido após um ex-militar confessar que atirou corpos no rio Negro durante a ditadura militar no país (1973-1985) e não ser levado à Justiça.

Segundo o jornal El País, o comandante do Exército é acusado de omissão após ouvir as confissões do militar José Gavazzo perante ao Tribunal de Honra Militar sobre o assassinato do militante Roberto Gomensoro, que é considerado o primeiro ativista desaparecido da ditadura em 1973.
   

Já González também foi destituído porque era encarregado das atas, enquanto que os generais Alfredo Erramún e Gustavo Fajardo eram componentes do Tribunal de Honra.

Ainda de acordo com a publicação, as demissões ocorreram após o jornal "El Observador" revelar as atas do Tribunal que incluíam a confissão do ex-militar. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA