Maduro fecha fronteira com Colômbia por 72h

Presidente acusou máfias colombianas de desestabilizarem país

Maduro fecha fronteira com Colômbia por 72h para evitar tráfico de notas de 100 bolívares
Maduro fecha fronteira com Colômbia por 72h para evitar tráfico de notas de 100 bolívares (foto: EPA)
14:26, 13 DezCARACAS ZBF

(ANSA) - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou ontem (12) o fechamento por 72 horas da fronteira com a Colômbia para impedir a entrada de cédulas de 100 bolívares, as quais seu governo tenta extinguir. Maduro já tinha informado que retiraria as notas de circulação, mesmo que elas representem a de maior valor em uso atualmente no país.

De acordo com o presidente, "máfias colombianas estariam armazenando as cédulas de 100 bolívares" para desestabilizar a economia venezuelana, que há anos enfrenta uma crise de desabastecimento. "Eu peço o apoio de toda a Venezuela.

A partir de hoje [ontem], fica fechada a fronteira da Colômbia, outra vez, por 72 horas", informou Maduro no Palácio de Miraflores, em Caracas. "Eles [os colombianos] estabeleceram uma manipulação política, ideológica e econômica para manipular a moeda", acusou.

"Esta medida era inevitável, necessária, estou certo de que sairemos mais forte do ponto de vista monetário e as máfias ficarão quebradas", concluiu o mandatário, sucessor de Hugo Chávez.

A Venezuela e a Colômbia possuem desavenças históricas, baseadas em ideologias políticas e na influência norte-americana no continente. Além disso, o país passa por uma grave crise econômica e política, que está sendo mediada pelo papa Francisco com a oposição e Maduro.

Caracas também enfrenta oposição de países do Mercosul, como Brasil, Argentina e Paraguai, que tentam anular sua participação no bloco regional. Amanhã (14), a Argentina assumirá a Presidência temporária do organismo, durante uma cerimônia em Montevidéu, com uma reunião de chanceleres. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA