Jornalistas brasileiros são libertados na Venezuela

Repórteres investigavam supostas propinas da Odebrecht no país

Manifestação contra Nicolás Maduro em Caracas, na Venezuela
Manifestação contra Nicolás Maduro em Caracas, na Venezuela (foto: ANSA)
15:58, 12 FevSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - Os dois jornalistas brasileiros da "TV Record" detidos no último sábado (11) na Venezuela já foram liberados e devem sair do país vizinho ainda neste domingo (12), informou o Ministério das Relações Exteriores.

O horário da soltura não foi informado. O Itamaraty aguarda os profissionais deixarem o solo venezuelano para manifestar-se em nota sobre o episódio.

Os jornalistas Leandro Stoliar e Gilson Souza foram presos no sábado no estado de Zulia, no norte da Venezuela, aproximadamente às 12h no horário local. A equipe foi detida pelo Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) junto a dois ativistas venezuelanos, José Urbina e María Jose Túa. Segundo a ONG Transparência Venezuela, os jornalistas brasileiros investigavam denúncias de suborno por parte da construtora Odebrecht no país.

A Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel) repudiou "veementemente" a ação do governo venezuelano. "Tal decisão é abominável e digna apenas de regimes ditatoriais que não aceitam o livre exercício da imprensa e temem a verdade", afirma o comunicado. Segundo a Abratel, todo o equipamento e o material jornalístico produzido pela equipe foram apreendidos. (ANSA)

 

Fonte: Agência Brasil

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA