Governo do Canadá reage e expulsa diplomata venezuelano

País ainda afirmou que embaixador 'não é bem vindo de volta'

Para canadense, expulsão de diplomata é 'típica do regime Maduro'
Para canadense, expulsão de diplomata é 'típica do regime Maduro' (foto: EPA)
11:51, 26 DezSÃO PAULO E ROMA ZGT

(ANSA) - O governo do Canadá divulgou nesta segunda-feira (25) que o diplomata encarregado de negócios da embaixada da Venezuela no país é "persona non grata" e expulsou o venezuelano do país.

Em pronunciamento, a chefe do Ministério das Relações Exteriores, Chrystia Freeland, ainda divulgou que o embaixador de Caracas "não é bem vindo de volta" - já que está de férias em seu país-natal.

As duas ações ocorreram após o governo venezuelano, através da presidente da Assembleia Constituinte, Delcy Rodríguez, declarar o diplomata canadense de negócios como "persona no grata" por sua "insistente e grosseira intromissão nos assuntos internos".

De acordo com Freeland, "essa ação é típica do regime [Nicolás] Maduro, que tem constantemente minado todos os esforços pela restauração da democracia e ajuda ao povo venezuelano".

"Os canadenses não vão ficar quietos enquanto o governo da Venezuela rouba de seu povo a democracia e os direitos humanos fundamentais, e veta o acesso à assistência humanitária básica", acrescentou.

Além de expulsar o diplomata canadense, Caracas também declarou como "persona non grata" o embaixador brasileiro no país, Ruy Carlos Pereira.

Libertação de presos políticos

O diretor do Foro Penal Venezuelano, Alfredo Romero, informou que entre os dias 23 e 25 de dezembro, o governo libertou 44 presos políticos.

O líder da entidade, que atua oferecendo assistência às vítimas de "violação de direitos civis", informou que entre os libertados estão Carlos J. Velasco e Carlos Pereira, opositores acusados de danificar a sede da Direção Executiva da Magistratura durante uma manifestação no dia 12 de julho. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA