Venezuela anuncia libertação de 39 presos políticos

Soltura foi prometida por Nicolás Maduro após eleições

Parentes celebram libertação de presos políticos na Venezuela
Parentes celebram libertação de presos políticos na Venezuela (foto: EPA)
21:10, 01 JunCARACAS ZLR

(ANSA) - O presidente do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela, Maikel Moreno, anunciou nesta sexta-feira (1º) a libertação de 39 pessoas presas por "delitos de violência política", incluindo o ex-prefeito de San Cristóbal Daniel Ceballos, protagonista de uma rebelião pouco antes das eleições.

A soltura de presos políticos havia sido prometida pelo presidente Nicolás Maduro na cerimônia de juramento para seu segundo mandato, em 24 de maio. De acordo com o líder chavista, serão libertadas todas as pessoas detidas por "violência política" e que não tenham cometido "crimes graves ou homicídios".

Organizações de direitos humanos dizem que a Venezuela possui mais de 300 presos políticos, mas Caracas não reconhece esse número. As libertações serão analisadas por uma "comissão da verdade" criada pela Assembleia Nacional Constituinte, dominada pelo chavismo e formada para suplantar o Parlamento, cuja maioria está nas mãos da oposição.

"Nossa proposta é que termine a perseguição política, porque não teria sentido se as prisões recomeçassem 24 horas depois de retornarmos a nossos estados", disse um grupo de governadores de oposição, formado por Leidys Gómez (Táchira), Antonio Barreto Sira (Anzoátegui), Ramón Guevara (Mérida) e Alfredo Díaz (Nueva Esparta).

Eles tiveram uma reunião com Maduro em Caracas para discutir a libertação de presos políticos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA