Maduro bloqueia entrada de ajuda humanitária na Venezuela

Secretário de Estados dos EUA exigiu desbloqueio da barricada

Maduro bloqueia entrada de ajuda humanitária na Venezuela (foto: Ansa)
09:59, 07 FevNOVA YORK ZCC

(ANSA) - Os militares do governo de Nicolás Maduro criaram uma barreira na fronteira entre a Venezuela e a Colômbia para impedir a entrada de ajuda humanitária vinda dos Estados Unidos. O impasse foi registrado na ponte Las Tienditas, que une a cidade colombiana de Cúcuta ao povoado de Ureña, no extremo oeste da Venezuela.
   

A medida foi criticada pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, que insistiu para que o líder chavista autorizasse a entrada de suprimentos para o "povo faminto".

"O povo venezuelano precisa desesperadamente de ajuda humanitária. Os Estados Unidos e outros países estão tentando ajudar, mas o Exército da Venezuela, sob as ordens de Maduro, está bloqueando a ajuda com caminhões e navios-tanque", escreveu no Twitter o secretário de Estado.
   

A entrada de ajuda humanitária no país foi negociada e aprovada pelo autoproclamado presidente interino, o opositor Juan Guaidó, reconhecido por 40 países como mandatário da Venezuela. No entanto, Maduro e o Tribunal Supremo de Justiça recusam a ajuda.
   

Segundo o líder chavista, a medida está totalmente contra a Constituição do país e não passa de um pretexto para o governo de Donald Trump realizar uma intervenção militar.

Itália

Na manhã desta quinta-feira (7), o vice-premier da Itália, Luigi Di Maio, afirmou que a Itália deveria ser "neutra" em relação a crise na Venezuela. "Não devemos tomar partido nem com Maduro nem com Guaidó.
   

Convidei Guaidó para responder ao apelo do Papa Francisco", disse Ontem(6), o presidente da Assembleia Nacional venezuelana pediu uma reunião, "o mais breve possível, com Di Maio e o também vice-premier, Matteo Salvini.

As solicitações foram enviadas em cartas separas, principalmente porque o próprio governo de coalizão na Itália diverge sobre a crise no país latino. Enquanto Salvini é a principal voz pró-Guaidó na Itália, Di Maio critica a "interferência" estrangeira na Venezuela e evita tomar lado.

 

Porto Rico

O secretário de Estado de Porto Rico, Luis Rivera Marín, anunciou nesta quinta-feira (7) que a ajuda humanitária enviada, via área, para a Venezuela já começou a chegar no país, apesar das tentativas de bloqueio do governo de Nicolás Maduro.

"Nós, com o planejamento que tivemos, com a ajuda de coordenadores indicados pelo presidente [autoproclamado Juan Guaidó], conseguimos identificar que esta carga chegou", disse em entrevista à CNN.

O porto-riquenho ainda ressaltou que acredita que nem os militares vão conseguir impedir a entrada de ajuda no país. "Você tem que presumir que esse soldado, de alguma forma, tem um irmão, tem um primo, tem um sobrinho, tem um filho que precisa dessas necessidades básicas", acrescentou.

Rivera Marín também reconheceu o valor dos pilotos da missão e enviou uma mensagem aos cidadãos da Venezuela. (ANSA)

 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA