Grupo internacional não é útil para Venezuela, diz Araújo

Chanceler criticou reunião realizada em Montevidéu

Ernesto Araújo se reúne com o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em Washington
Ernesto Araújo se reúne com o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em Washington (foto: EPA)
14:58, 08 FevSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, disse nesta quinta-feira (7), durante entrevista coletiva na embaixada do Brasil nos EUA, que considera que a iniciativa do Grupo de Contato Internacional para buscar uma solução para a crise política na Venezuela não é útil.

"Achamos que isso não é um ponto de partida. É uma iniciativa que, a exemplo de iniciativas no passado, por mais bem-intencionada que possa ser, terá, se prosperar, como resultado apenas retardar o fim do regime ditatorial, dar espaço de respiração para Nicolás Maduro e seu grupo e criar uma dúvida sobre a evolução do processo democrático", disse Araújo.

Nesta quinta, o Grupo Internacional de Contato realizou uma reunião em Montevidéu sobre a crise e defendeu que a saída deve ser definida pelo povo venezuelano. Integrado por países das Américas e da Europa, o grupo busca um acordo para o fim do conflito venezuelano pelas vias diplomáticas.

O chanceler brasileiro destacou que o "caminho" para a Venezuela é o reconhecimento do autoproclamado governo provisório de Juan Guaidó como legítimo, inclusive buscando uma saída para Maduro.

"A iniciativa de Montevidéu parte das premissas erradas e não trará os resultados que todos esperamos, que é a volta da democracia na Venezuela. Apenas serviria para retardar esse processo, portanto não consideramos que seja uma iniciativa válida", disse. (ANSA)

Fonte: Agência Brasil

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA