Livro conta história de projeto social da Fiat em Betim

Inauguração de obra aconteceu em livraria de São Paulo

O diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da FCA na América Latina, Marco Antônio Lage, lança seu livro em São Paulo
O diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da FCA na América Latina, Marco Antônio Lage, lança seu livro em São Paulo (foto: Reprodução/Facebook)
10:04, 26 NovSÃO PAULO Ana Ferraz

(ANSA) - O livro "O Mundo Pode Ser Melhor - Árvore da Vida: A Experiência da Fiat Chrysler", escrito pelo diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da FCA na América Latina, Marco Antônio Lage, foi lançado na noite desta terça-feira, dia 24, na livraria Martins Fontes, em São Paulo.

 

A obra conta a história da "Árvore da Vida", um projeto iniciado em 2004 pela corporativa automobilística na comunidade Jardim Teresópolis, na cidade mineira de Betim, onde o grupo possui uma fábrica. Inspirado nas diretrizes e valores da Fiat Chrysler ligados ao relacionamento com as comunidades, foi criado um programa de responsabilidade social na região de Betim, que é conhecida como uma das maiores sedes da companhia no mundo.

 

Em entrevista à ANSA, o autor do livro contou que o projeto nasceu de um desejo de "promover um encontro entre a empresa e a comunidade que existe no seu entorno", unindo "o apoio do comitê diretivo" com "o entusiasmo que o brasileiro tem com voluntariado".

 

"O programa aborda a educação infantil, o trabalho socioeducativo, através da arte e do esporte, e a capacitação profissional com geração de renda para as famílias e para os jovens", disse Lage.

 

Apesar dos benefícios e vitórias já alcançadas, depois de mais de 10 anos de atividade, a "Árvore da Vida" ainda tem desafios para serem atingidos.

 

"O que tem sido apontado pela própria comunidade é um maior foco na educação fundamental e de um investimento em escola integrais para que os jovens possam ter uma ocupação e uma amplitude maior no seu desenvolvimento educacional e humano", explicou o diretor.

 

O livro conta a história do programa através de depoimentos de moradores que foram beneficiados. De acordo com o autor, "existe um aspecto que é o resultado estatístico, com redução de violência, a melhora do ensino público na região, a melhora do desempenho escolar dos meninos, a geração de trabalho e renda, que também melhorou na comunidade".

 

No entanto, o que foi mais abordado no livro foi o lado humano. "Um exemplo é o do Paulo Luis, que era um menino órfão aos 10 anos, sem perspectiva nenhuma, negro e pobre, muito próximo de conviver com o tráfico de drogas e que a partir do projeto se encontrou e que hoje estuda engenharia, trabalha na Fiat, vai se casar e construir uma família e é um jovem cheio de sonhos", concluiu Lage. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en