Polanski diz que movimento 'MeToo' é 'histeria coletiva'

Diretor de "O Pianista" abusou de menor de idade anos atrás

Roman Polanski durante coletiva de imprensa no 70º Festival de Cannes
Roman Polanski durante coletiva de imprensa no 70º Festival de Cannes (foto: ANSA)
17:34, 09 MaiROMA ZLR

(ANSA) - O diretor Roman Polanski, expulso da Academia do Oscar devido a uma acusação de abuso sexual contra uma menor de idade, classificou o movimento "MeToo" como uma "histeria coletiva".

Além disso, Polanski apontou, em entrevista à revista "Newsweek Polska", que a campanha contra o assédio impulsionada pelas atrizes de Hollywood é "uma total hipocrisia".

O diretor, acusado de violentar uma adolescente de 13 anos há quatro décadas, também ameaçou processar a Academia do Oscar. De acordo com Polanski, a entidade não deu oportunidades para ele se defender das acusações.

O cineasta ainda classificou sua expulsão como um "assédio".

O primeiro membro banido da organização foi o produtor Harvey Weinstein, acusado de abuso por dezenas de mulheres.

Desde então, a Academia tem adotado uma política mais rígida para conter a violência sexual.Uma das medidas foi a instalação de um "Código de Conduta" para todos os seus integrantes. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA