Museu de Florença cria algoritmo para zerar filas

As "Gallerie degli Uffizi" darão um horário exato para ingresso

Museu de Florença cria algoritmo para zerar filas
Museu de Florença cria algoritmo para zerar filas (foto: Ansa)
11:57, 10 OutFLORENÇA ZLR

(ANSA) - As Gallerie degli Uffizi, situadas em Florença, na Itália, e consideradas o principal museu renascentista do mundo, criaram um algoritmo para zerar suas famosas filas de entrada, que podem até superar o período de quatro horas.

O novo método coloca quiosques interativos na bilheteria do museu, que imprimem um ingresso com o horário exato da visita, usando como base os dados do algoritmo, que calcula os fluxos de pessoas, a permanência de visitantes e até considera questões meteorológicas, a fim de eliminar esse problema crônico.

O sistema é fruto de dois anos de pesquisas, conduzidas pelo museu em colaboração com a Universidade de L'Aquila, e entrará em vigor a partir do ano que vem.

O método já foi testado no último dia 7, durante o sempre lotado último domingo de entrada gratuita da alta temporada, e funcionou, segundo o diretor das Gallerie degli Uffizi, Eike Schmidt. Mais de 7 mil visitantes passaram pelo museu sem enfrentar nenhuma fila.

Assim, será possível iniciar o tour nos "ofícios" no horário programado sem problemas, usando o tempo de espera em outros museus ou passeando pelo centro de Florença. "Estou contente que os turistas e os amantes da arte, pela primeira vez depois de tanto tempo, possam entrar no museu sem estar exaustos pelas horas de fila", acrescentou Schmidt.

Segundo o diretor, quando o sistema entrar em vigor, outros problemas do museu também podem ser resolvidos. "Desaparecerá o tráfico de bilhetes abusivos e a praga dos furtos. Sem contar o aspecto da segurança. Nesse período de alerta antiterrorismo, as filas são um alvo fácil, e eliminá-las é uma vantagem para todos", concluiu. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA