Filme de Nanni Moretti sobre golpe no Chile estreia em 20/6

Documentário relata ajuda da Embaixada da Itália a refugiados

Nanni Moretti em Santiago, com a Cordilheira dos Andes ao fundo
Nanni Moretti em Santiago, com a Cordilheira dos Andes ao fundo (foto: Divulgação)
14:55, 31 MaiSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - O premiado documentário "Santiago, Itália", de Nanni Moretti, que narra o papel da Embaixada italiana no Chile para proteger refugiados políticos após o golpe militar contra Salvador Allende, estreia nos cinemas brasileiros no próximo dia 20 de junho.

O longa reúne relatos de chilenos salvos pela ação de diplomatas italianos em Santiago, em meio ao regime totalitário implantado pelo general Augusto Pinochet, que governaria o país andino de 1973 a 1981, em uma das mais cruéis ditaduras do Cone Sul.

Apoiadores de Allende perseguidos pelo regime militar pulavam o muro da Embaixada da Itália na capital do Chile em busca de proteção, incluindo artistas, cineastas, empresários e até crianças. A sede diplomática chegou a abrigar centenas de opositores e conseguiu abrir um corredor humanitário para levá-los como refugiados até a Itália, onde muitos vivem até hoje.

"Não tínhamos mais controle, as pessoas pulavam o muro da embaixada para entrar", relata o diplomata Piero De Masi, que estava a serviço em Santiago na época do golpe.Em uma das passagens mais macabras, os entrevistados contam sobre quando a polícia jogou o corpo de uma opositora para dentro da embaixada para aterrorizar os refugiados.

"Santiago, Itália" venceu o prêmio de melhor documentário no David di Donatello, o "Oscar" do cinema italiano, e o Nastro d'Argento, concedido pela crítica. A produção chega ao Brasil com distribuição da Pandora Filmes e também conta com relatos de militares que, ainda hoje, se negam a admitir as torturas e outros crimes cometidos pela ditadura. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en