Afresco de gladiadores é descoberto em Pompeia, na Itália

Ministro chamou o achado de "sem precedentes"

Afresco mostra dois gladiadores romanos em combate
Afresco mostra dois gladiadores romanos em combate (foto: ANSA)
14:41, 11 OutROMA ZLR

(ANSA) - Arqueólogos italianos descobriram nas ruínas de Pompeia, cidade do sul do país devastada pelo vulcão Vesúvio, um afresco que retrata dois gladiadores ao fim de um combate.

A pintura foi encontrada durante obras de segurança em uma zona de escavação em Regio V, área de cerca de 20 hectares situada no norte do sítio arqueológico.

O afresco mostra um gladiador de pé, com o escudo levantado em sinal de vitória, enquanto o outro parece sucumbir ao fim da luta. "Trata-se de uma descoberta sem precedentes dos arqueólogos de Pompeia, que pela primeira vez escavam nessa área", comemorou o ministro dos Bens Culturais da Itália, Dario Franceschini.

De acordo com o governo, o afresco mostra um combate entre um "mirmilão" e um "trácio", duas tipologias distintas de lutadores e adversários frequentes em disputas de gladiadores na Roma Antiga.

O primeiro era caracterizado por usar um grande escudo retangular e uma espada curta, enquanto o segundo empregava uma lamina curva, um escudo quadrado e caneleiras até os joelhos. O afresco tem 1,12m por 1,5m e formato trapezoidal.

O Ministério dos Bens Culturais diz que o desenho provavelmente decorava um ambiente frequentado por gladiadores. "O afresco tem uma representação extremamente realista dos ferimentos, como aqueles no pulso e no peito do gladiador que sucumbe. Há um gesto singular que o trácio ferido faz com a mão, talvez para implorar por salvamento", afirmou o diretor do sítio arqueológico de Pompeia, Massimo Osanna.

A antiga cidade romana ficava nos arredores de Nápoles e foi destruída por uma erupção do Vesúvio em 79 d.C., que deixou corpos petrificados até os dias de hoje. O local é atualmente a segunda atração turística mais visitada da Itália, atrás apenas do Coliseu de Roma. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA