Taxa de estadia em Florença pode subir para quase R$ 50

Valor de 10 euros foi aprovado em comitê da Câmara dos Deputados

Turistas olham a Ponte Vecchio e o Rio Arno, no centro de Florença
Turistas olham a Ponte Vecchio e o Rio Arno, no centro de Florença (foto: ANSA)
14:53, 02 DezROMA ZLR

(ANSA) - A Comissão de Finanças da Câmara dos Deputados da Itália aprovou uma emenda ao Decreto Fiscal do governo que autoriza algumas cidades do país a aumentarem a taxa de estadia contra turistas para até 10 euros (R$ 46,75 pela cotação atual).

A medida foi discutida e aprovada na última sexta-feira (2) e ainda precisa ser submetida a plenário. O texto eleva o limite máximo da taxa de estadia de cinco para 10 euros por dia, mas apenas para capitais de província que receberem um número anual de visitantes mais de 20 vezes superior ao total de residentes.

Atualmente, apenas duas cidades se enquadram nessas características, Florença, capital da Toscana, e Rimini, um concorrido destino de verão da costa adriática da Itália - Roma e Veneza já contavam com essa possibilidade, embora não a exerçam.

"Os prefeitos das duas cidades poderão usufruir dessa norma se quiserem", explicou o Ministério dos Bens Culturais. Florença cobra de dois (hotéis de uma estrela, campings, albergues e pousadas) a cinco euros (hotéis de cinco estrelas) de taxa de estadia por pessoa, pelo máximo de sete noites consecutivas. Já em Rimini as tarifas vão de 0,70 centavos a quatro euros.

"Apoiamos com força a iniciativa do governo de permitir aumentar o limite máximo da taxa de estadia. A arrecadação permite melhorar o acolhimento e serviços de qualidade, em benefício dos próprios turistas", disse o prefeito de Florença, Dario Nardella, por meio de uma nota. A cidade toscana tem 370 mil habitantes e é visitada anualmente por 14 milhões de turistas. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA