Bulgari doa 200 mil frascos de álcool em gel para médicos

Grife italiana também doou dinheiro para pesquisa sobre vírus

Grife italiana Bulgari está produzindo 200 mil frascos de álcool em gel para ajudar operadores sanitários
Grife italiana Bulgari está produzindo 200 mil frascos de álcool em gel para ajudar operadores sanitários (foto: Ansa)
15:26, 26 MarROMA ZGT

(ANSA) - A grife italiana Bulgari anunciou a doação de cerca de 200 mil frascos de álcool em gel para médicos, enfermeiros e equipes sanitárias da Itália que atuam no combate ao novo coronavírus (Sars-CoV-2).

De acordo com uma nota divulgada à imprensa nesta quinta-feira (26), a marca de joias e relógios de luxo informou que fechou uma parceria com a ICR, seu histórico parceiro na produção de perfumes e fragrâncias especiais, para que a empresa produza seis mil frascos por dia por cerca de dois meses, até atingir a quantidade de produtos combinados com o governo italiano.

"Acredito que como grande protagonista da economia e símbolo da Itália, a Bulgari tem a responsabilidade de contribuir com o esforço nacional para ajudar a prevenir, combater e enfrentar a Covid-19. Graças a nossa experiência no campo das fragrâncias, conseguimos desenvolver com a ICR um álcool em gel que será produzido na fábrica de Lodi, onde são normalmente feitas as nossas fragrâncias", informou o CEO da maison, Jean-Christophe Babin.

Ainda segundo Babin, a empresa está consciente da difícil situação que os italianos estão vivendo e "entendemos que é nosso dever contribuir com o nosso know-how e colocar à disposição as nossas estruturas de produção". Essa é a segunda grande ação da Bulgari em meio à pandemia que assola a Itália. No início do mês, eles doaram cerca de 100 mil euros para o Instituto Spallanzani, em Roma, para que a entidade focasse na busca por remédios ou vacinas que pudessem ser usadas contra o Sars-CoV-2. O dinheiro foi usado para a compra de um microscópio 3D de alta definição.

Além da grife de joias, outras grandes marcas da moda italiana também estão ajudando tanto na doação de dinheiro - como a Armani, Dolce & Gabbana, Gucci, Salvatore Ferragamo, Fendi e Celine - bem como na produção de máscaras e roupas especiais para médicos, enfermeiras e operadores sanitários - caso da Prada e da Ermanno Scervino.

A Itália é o país que mais registra mortos na pandemia do coronavírus, com 7.503 mortes registradas. A nação também é a segunda em número de casos, com 74.386, pouco menos do que a China, que conta com 81.782 casos, mas que já anunciou o controle da epidemia internamente. No mundo, já são 487.648 contaminações e 22.030 mortes. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA