Arqueólogos encontram 'piso imperial' em frente ao Pantheon de Roma

Lajes foram localizadas a mais de 2 metros de profundidade

Lajes de travertino foram encontradas em frente ao Pantheon. Veja as imagens (foto: )
09:51, 06 MaiROMA ZGT

(ANSA) - Um grupo de arqueólogos localizou sete lajes de travertino, enterradas a mais de dois metros, que formavam a praça original do Pantheon de Roma durante o período imperial da capital italiana. A descoberta ocorreu durante obras da rede hídrica da área.

As peças tem cerca de 80 centímetros de largura e 90 cm de comprimento, com 30 cm de espessura, e estão enterradas em profundidades que variam entre 2,3 metros e 2,7 m. Essa é a segunda vez que lajes do tipo são encontradas, sendo que as primeiras haviam sido localizadas na década de 1990 durante trabalhos de construção de uma galeria subterrânea.

"Depois de 20 anos da sua primeira descoberta, reaparecem intactas as lajes da pavimentação antiga da praça em frente ao Pantheon, cobertas por um estrato fino de pozolana [material de origem vulcânica misturado com cal]. Uma demonstração inquestionável do quanto é necessária a tutela arqueológica, não apenas para conhecimento, mas fundamental para a conservação dos testemunhos da nossa história. Um patrimônio inestimável, em particular, em uma cidade como Roma", destacou a superintendente especial de Roma, Daniela Porro.

Durante o período imperial, a praça era muito maior do que é vista atualmente na capital italiana. Na construção do Pantheon atual, no século II depois de Cristo, sob o comando do imperador Adriano, ela foi inteiramente reestruturada - sendo reerguida e novamente pavimentada. As peças encontradas nesta terça-feira (05) parecem pertencer exatamente a essa fase do complexo.

O canteiro de obras continuará a trabalhar nos próximos dias para a recuperação hídrica da área, mas segue com outras investigações arqueológicas da Superintendência Especial de Roma, em colaboração com a Superintendência dos Bens Culturais da capital. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA