Após quase 3 meses, Coliseu de Roma é reaberto ao público

Medidas de segurança sanitária foram implantadas no local

Parque Arqueológico do Coliseu foi reaberto nesta segunda-feira após 84 dias de fechamento por conta da pandemia (foto: )
09:23, 01 JunROMA ZGT

(ANSA) - Após 84 dias de fechamento por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), o Parque Arqueológico do Coliseu, em Roma, foi reaberto ao público nesta segunda-feira (1º).

"Reabre o Coliseu, local do coração e da alma, um símbolo para a cultura, para a Itália e para o mundo. Queremos que esse seja um sinal de esperança, paz e renascimento", afirmou a diretora do Parque, Alfonsina Russo, aos jornalistas pouco antes da entrada dos primeiros visitantes no Anfiteatro Flavio.

Para essa reabertura, no entanto, várias medidas de segurança sanitária foram adotadas para minimizar os riscos de contaminação. Só é possível entrar no Parque Arqueológico do Coliseu com reserva online antecipada tanto para turistas individuais como para grupos de até 14 pessoas - sendo que a entrada ocorre para os grupos a cada 15 minutos e sempre com guias.

Na entrada, foram instalados equipamentos inteligentes para medir a temperatura de cada visitante e que checam se cada pessoa está usando máscara de proteção. Também foram instalados dispensers de álcool em gel e as áreas de acesso são constantemente higienizadas pelos funcionários.

O horário da visitação foi alterado para "não agravar o horário de pico" no sistema de transporte público da capital italiana, segundo Russo, e por isso o parque funcionará entre às 10h30 e às 19h15 (hora local).

Além das medidas internas, foi instalada uma estação sanitária móvel, da Agência Sanitária Local (ASL), para dar mais informações aos visitantes do Coliseu.

"Essa fase de experimentação seguirá até o dia 30 de junho e, depois, avaliaremos se vamos ampliar os horários e os serviços. Estamos estudando ainda a possibilidade de visitas noturnas, com temas específicos e eventos musicais", explica Russo.

Além do ingresso válido por 24 horas, que custa 16 euros (cerca de R$ 95), entrou em vigor pela primeira vez o "Ingresso Arte", ao custo de 9,5 euros (pouco mais de R$ 56), que permite o uso apenas depois das 14h (hora local).

"Uma atualização com foco, sobretudo, nos moradores, que poderão visitar o Coliseu com calma, mas também o Foro Romano e o Palatino", destaca a diretora.

Estão disponíveis dois percursos pré-estabelecidos: "Il Colosseo si racconta" e, para o "Ingresso Arte", o "Colosseo Arena". Esse último, permite que os visitantes conheçam também as descobertas recentes no parque, que ocorreram durante o período de lockdown, e que mostram desenhos do "período de abandono", entre o fim da Idade Média e os anos 1600.

Para o Foro Romano, estão previstos quatro percursos especiais: a praça do Foro, com visita às Basílicas Emilia e Giulia; passeio sobre a via Sacra; visita ao Palatino; e a visita "às origens de Roma". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA