Casamentos arranjados acendem alerta de terrorismo

Italianos aceitam matrimônios com imigrantes em troca de quantia

A estação de Termini, em Roma, é um dos locais de aliciamento de italianos para casamentos de fachada na África
A estação de Termini, em Roma, é um dos locais de aliciamento de italianos para casamentos de fachada na África (foto: ANSA)
13:13, 26 AgoROMA ZLR

(ANSA) - Enquanto a Europa tenta dificultar a entrada de imigrantes clandestinos no continente através do Mediterrâneo, muitos italianos pobres estão dando uma mão a estrangeiros em troca de alguns milhares de euros.
    Desde os recentes atentados na Tunísia e no Egito, aumentaram as ofertas em dinheiro para habitantes da Itália dispostos a aceitar um casamento de fachada nestes países, o que facilitaria a entrada de seus "cônjuges" na União Europeia.
    O caso emerge de uma investigação realizada pela ANSA e que agora está na mesa da divisão antiterrorismo da polícia de Roma, já que, entre os interessados nessas uniões, poderiam estar extremistas. A atuação da quadrilha responsável pelos matrimônios combinados começa ainda na cidade eterna, principalmente na estação Termini e em abrigos para sem-teto.
    Nesses lugares, o grupo alicia homens e mulheres necessitados, oferecendo não mais do que três ou quatro mil euros. Com o valor acertado, os italianos viajam para o Cairo, no Egito, onde se casam com habitantes locais.
    "Organizamos recentemente uma dezena de viagens. Do Cairo, por meio da Embaixada italiana, chegam os pedidos de matrimônio. Uma vez obtidos os documentos necessários, partimos para o Egito", contou A., um italiano de 40 anos que atua na parte burocrática do processo.
    Tudo é feito dentro da lei, mas os relacionamentos são apenas de fachada. Aos futuros cônjuges italianos, é oferecida uma passagem área para a capital egípcia, onde a união é celebrada, primeiro no religioso e depois no civil. Em seguida, o casamento é registrado na Itália e, poucos meses depois, Roma recebe uma solicitação de permissão de estadia ("permesso di soggiorno") por motivos familiares.
    Em uma perspectiva ainda mais longa, o estrangeiro pode até pedir a cidadania italiana. Todo o trâmite custa 9 mil euros para os imigrantes, que veem a Itália apenas como uma via de acesso a outros países europeus. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA