Gastronomia de Milão reflete "correria" de cidade grande

Torrone de Cremona é um doce bastante típico na região (foto: Ansa)
16:33, 09 FevMilão zbf

(ANSA) - A região da Lombardia, no norte da Itália, é a economicamente a mais rica do país. O ritmo por lá é acelerado e sua gastronomia é influenciada pela vida agitada da população.

Principalmente na cidade de Milão, as pessoas deixam de lado o costume de sentar à mesa e apreciar uma refeição. Normalmente, os milaneses lotam bares para comerem de pé e bem rápido.

Uma dessas comidas versáteis e mais consumidas em Milão é o tradicional panini, um tipo de sanduíche recheado com queijos e frios. Eles são, na maioria das vezes, encontrados e degustados em paninotecas. Entre os principais frios consumidos na Lombardia, a bresaola se destaca.

No entanto, o ritmo frenético de Milão é o contrário das cidades rurais da Lombardia. Pávia, por exemplo, é uma grande produtor de arroz, servindo de matéria prima para um dos principais pratos da região, o risoto, item obrigatório para o “risotto de ossobuco”, com açafrão.

Passando por outras cidades, Mântua se destaca por plantações de abóboras, principal recheio do tradicional tortelli di zucca. As polentas, outra comida típica da Lombardia, ganham espaço nas cidades de Bérgamo e Sondrio com seus moinhos.

Outro carro-chefe da Lombardia são os queijos. A começar pelo gorgonzola, que inclusive leva o nome de uma cidade na região a 30 km de Milão. Outros muito degustados são: mascarpone, taleggio, stracchino, grana padano e parmigiano reggiano.

Já para os amantes de um doce, a Lombardia pode ser o lugar perfeito para uma visita. O panetone, torrone de Cremona e o biscoito amaretti de Saronno são alguns que não são conhecidos só na Itália, mas também no mundo todo.


* Informações contidas no livro "Itália: Para Comer e Beber Bem", lançado em 2017 por Gerardo Landulfo e Juscelino Pereira.
(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en