Friuli-Veneza Giulia tem gastronomia marcada por influências externas

A região oferece um café desenvolvido com uma mistura de nove grãos de tipo arábico (foto: Ansa)
19:45, 09 MarSÃO PAULO zbf

(ANSA) – Depois da Segunda Guerra Mundial, a Itália perdeu grande parte do território de Friuli-Veneza Giulia para a Iugoslávia, área que hoje compreende a Eslovênia e a Croácia.

Mas, em 1963, o país conseguiu readquirir, diplomaticamente, a cidade portuária de Trieste, que virou capital dos dois territórios unificados.

O passado da região, localizada no extremo nordeste da Itália, foi marcado pela presença dos romanos (Aquileia era uma das capitais do império) e dos austro-húngaros, os quais deixaram fortes influências na gastronomia local.

Assim, o goulash de origem húngara e a torta de chocolate sacher são dois pratos muito conhecidos na região.

Mas o produto local de maior fama internacional é presunto cru San Daniele, que virou um grande concorrente do famoso presunto Parma. Outro orgulho regional é o salame defumado Peta ou Pitia, preparado com um misto de carnes e temperos.

Um dos principais fabricantes de café do mundo, a Illy, foi fundada em Trieste, em 1993, e até hoje oferece um café desenvolvido por uma mistura de nove grãos de tipo arábica.

Em uma visita à região, não deixe de provar o “Frico”, prato popular entre camponeses que se tonrou um antepasto clássico de restaurantes de Friuli, com batatas cozinhas e queijo Montasio.

A polpa de caranguejo temperada com azeite, chamada de “Granseola alla triestina”, é outro prato que se encontra nos restaurantes de lá.

Nas sobremesas, o bolo “Gubana”, de origem eslovaca e recheado de nozes, pinolis e frutas secas, vem com calda de grappa de ameixas. (ANSA)

*Informações contidas no livro "Itália: Para Comer e Beber Bem", lançado em 2017 por Gerardo Landulfo e Juscelino Pereira.

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en