Conheça a gastronomia de Molise, a região mais jovem da Itália

Região possui carne suína como base culinária

A polenta depois de pronta é cortada em discos e levada ao forno com molho de tomate e linguiça
A polenta depois de pronta é cortada em discos e levada ao forno com molho de tomate e linguiça (foto: Ansa)
15:58, 09 MarSÃO PAULO zcc

(ANSA) – A região de Molise é a mais jovem da Itália - criada em 1963 - e a segunda menor, atrás apenas do Vale de Aosta. Nem por isso esse paraíso do sul do país deve ser descartado em uma viagem gastronômica.

Com apenas 104 quilômetros de distância entre o mar e as montanhas, Molise tem como pontos de atração as praias de Termoli e as pistas de esqui de Campitello Matese. A região também abriga monumentos históricos, como as ruínas romanas de Saebipinum e o castelo medieval Monforte, que fica na capital, Campobasso.

Um dos eventos típicos de Molise é a Festa de San Giuseppe, que ocorre em 19 de março como uma forma de celebrar antecipadamente a chegada da primavera europeia. As comemorações se estendem por meses, coincidindo com outros festejos religiosos.

Durante o evento, acontece o que é chamado de "carrese" - corridas de carroças puxadas por bois -, mas também há as barracas de comida, que vendem produtos da terra e a "pampanella", costelas de porco cozidas cujo tempero leva alho, pimentão seco e pimenta vermelha.

Molise também é marcada pela produção de azeite e pelo cultivo de suínos. Grande parte da culinária local é preparada com carne de porco, como a "Ventricina", cortes de pernil temperados com erva-doce, e o "Capicollo", copa com até cinco meses de maturação.

O "maiale ai peperoni" também é um exemplo de prato que utiliza a carne suína. Nesse caso, a carne magra do animal é cozida com pimentões, alecrim, erva-doce, azeite e vinagre.

Um dos pratos mais curiosos do local é o "Cavatelli ao sugo", que foge de preparados refinados. Uma massa fresca é "cavada" com os dedos e servida com molho de tomate e pedaços de linguiça.

Já o "Fusilli alla mosilana" é feito de forma artesanal - enrolando-se uma massa fresca em uma espiral de ferro. Ele é servido com ragu de carnes mistas, como de porco, cordeiro e vitelo.

Para os amantes de doces, há os "picelatti", sobremesas feitas em formato de pastel e assadas com uma mistura de mel, nozes e amêndoas.

E não poderia faltar a polenta italiana. A "polenta alla brigante" é cortada em discos e levada ao forno com molhos de tomate e linguiça. (ANSA)

*Informações contidas no livro "Itália: Para Comer e Beber Bem", lançado em 2017 por Gerardo Landulfo e Juscelino Pereira.

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en