De vergonha a capital cultural: Conheça a cidade de Matera

Município italiano será Capital da Cultura na UE em 2019

De vergonha a capital cultural: Conheça a cidade de Matera
De vergonha a capital cultural: Conheça a cidade de Matera (foto: ANSA)
15:59, 18 JanSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - Considerada na década de 1950 como a cidade maldita, Matera, no extremo-sul da Itália, se reinventou e iniciará neste sábado (19) seu mandato como Capital Europeia da Cultura, ao lado de Plovdiv, na Bulgária. Localizada na região da Basilicata, a cidade foi uma das primeiras onde se notou presença humana, já na Idade da Pedra Lascada, e estreia neste fim de semana seu calendário cultural para 2019.

Situada à beira de um penhasco e repleta de casas-gruta, Matera tinha péssimas condições de higiene e saneamento básico no começo do século passado. Em 1937, 44,32% dos recém-nascidos na cidade morreram por doenças como malária e tuberculose, e o analfabetismo em massa também assombrava o município.

Já na década de 1950, o então primeiro-ministro da Itália, Alcide De Gasperi, declarou Matera como "vergonha nacional" por suas condições precárias, e o Estado promulgou uma lei que impunha a evacuação de 15 mil habitantes, deixando o coração histórico da cidade abandonado. Passados alguns anos, graças a novas leis de conservação, como uma que protege o exterior das casas, Matera se reconstituiu e se modernizou.

De cidade maldita e vergonha nacional, um dos locais mais antigos do mundo se reergueu e foi eleito Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1993. As casas-gruta se tornaram, aos poucos, lojas de souvenir, restaurantes e hotéis, desde os mais simples até os luxuosos de cinco estrelas. O centro histórico voltou a ter vida, e os turistas adotaram Matera como meta a ser desvendada.

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por Lonely Planet Italia (@lonelyplanet_it) em

Eis então que a candidatura da cidade a Capital Europeia da Cultura foi formalizada, através de um dossiê que estudou os pontos fortes e a construção de um percurso que vai além do patrimônio já existente. Concorrendo com outras cidades italianas, como Lecce, Ravenna, Perúgia-Assis, Siena e Cagliari, Matera triunfou na disputa final, em decisão da Comissão Europeia anunciada em 2014. A cidade é a primeira do sul da Itália a obter esse reconhecimento, representando um marco importante para a região.

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por Demi Cassiani (@demi_cassiani) em

O calendário cultural para 2019 foi elaborado com um orçamento de 52 milhões de euros e inclui dezenas de produções originais, exposições e shows. O acesso aos eventos poderá ser feito por meio de um "passaporte" de cidadão extraordinário de Matera, disponível por 19 euros e criado especialmente para a ocasião. O que fazer - A cidade encravada na pedra conta com os "sassi" (pedras, em tradução literal), bairros antigos divididos por elevações e construções de época. Um simples passeio pela arquitetura histórica de Matera é uma ótima opção para conhecer a cidade.

Entre os pontos turísticos mais importantes estão a Piazza Vittorio Veneto, a maior e mais importante da cidade; o Palombaro Lungo, uma cisterna utilizada antigamente para a coleta de água; a Catedral de Matera, que fica na parte mais alta do centro histórico e conta com uma vista de tirar o fôlego; e as casas-gruta, que representam a essência da verdadeira Matera. Muitas delas viraram museus com móveis e utensílios originais, a fim de mostrar como era a vida nas típicas moradias do local.

Por causa de suas paisagens únicas, a cidade já serviu de cenário para dezenas de filmes. Entre os mais famosos estão "O Evangelho segundo São Mateus", de Pier Paolo Pasolini, e "A Paixão de Cristo", de Mel Gibson. Matera é a quarta cidade italiana eleita Capital Europeia da Cultura, depois de Florença, em 1986, Bolonha, em 2000, e Gênova, em 2004.

 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por No, non venite in Basilicata (@nonveniteinbasilicata) em

(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA