Capital da cultura, Parma esconde destinos encantadores

Cidade sediará mais de 400 eventos durante todo o ano de 2020

Cidade italiana será sede de mais de 400 eventos durante todo o ano de 2020 em decorrência do título (foto: Ansa)
18:40, 28 FevSÃO PAULO Por Luciana Ribeiro

(ANSA) - Localizada na Emilia-Romagna, norte da Itália, Parma encanta pela tradição, história e beleza de sua arquitetura medieval, sua herança artística e sabores sofisticados. E foram essas características que lhe garantiram o título de capital italiana da cultura em 2020.

"Parma foi escolhida por sua herança e criatividade, que se desenvolveram e aprimoraram ao longo dos anos através de itinerários culturais que incluem exposições, instalações, produções, workshops, aberturas extraordinárias, conferências e música, integradas ao tecido urbano", afirmou à ANSA Maria Elena Rossi, diretora de marketing e promoção da Agência Nacional de Turismo da Itália (Enit) no Brasil.

A valorização de Parma também se dá pela singularidade cultural material e imaterial, que vai desde o compositor de óperas Giuseppe Verdi, nascido na cidade vizinha de Busseto, ao parmigiano reggiano e sua famosa enogastronomia.

As experiências locais têm sido aproveitadas desde o início de janeiro, mês em que foi realizada a inauguração do "mandato" da cidade, escolhida pelo governo italiano por se destacar pelo seu potencial cultural e suas peculiaridades.

Ao longo do ano, uma intensa programação de eventos será promovida para marcar essa consagração. No total, são mais de 400 acontecimentos, entre mostras, espetáculos teatrais, shows e aulas de culinária, disponibilizados aos cidadãos locais e visitantes.

"Muitos eventos culturais animarão esse emocionante destino. Uma maneira diferente e dinâmica de experimentar a riqueza desses lugares, onde será possível admirar a beleza da paisagem andando de bicicleta, própria ou de aluguel, respirando cultura e tradição e parando para saborear produtos locais e visitar centros de excelência na região", disse Rossi.

Segundo o prefeito Federico Pizzarotti, o objetivo é "despertar cultura nos bairros, criar pensamento e bem-estar junto às instituições, empresas e associações da cidade, envolvendo todos os cidadãos".

A primeira exposição do calendário, no Palácio do Governador, que terá duração até 3 de maio, é a mostra "Máquina do Tempo", com foco na percepção do tempo e do espaço através de obras de vários artistas e cineastas.

Já a segunda é "Nós, a Comida e o Planeta: Alimentando um Futuro Sustentável", disponível na galeria de arte San Ludovico até 3 de abril, com fotos, experiências multimídia e debates sobre a importância de uma gestão sustentável do sistema alimentar.

Por fim, uma terceira exposição celebra até 15 de março a história do diário Gazzetta di Parma, que começou a ser publicado em 1735.

Além desses eventos, a cidade conta com uma atmosfera deslumbrante para turistas. Para a diretora da Enit, o título de capital da cultura tornou-se uma forma de "chamar a atenção de milhares de visitantes e um estímulo para garantir o melhor da oferta turística" e, com isso, "expressar todo o potencial de Parma, melhorando também seu posicionamento como destino preferido a nível internacional".

Com suas praças, palácios e museus, a cidade propicia uma imersão no turismo cultural a seus milhares de visitantes. Entre os lugares imperdíveis há a Catedral d Parma; o Palácio della Pilotta; o Batistério, a Galeria Nacional, além do Teatro Regio e tantos outros.

Confira alguns dos pontos turísticos para visitar em Parma:

Praça da Catedral - Considerada o coração da arte, a Piazza del Duomo conta com dois principais locais simbólicos: a Catedral do século 12, famosa por sua arquitetura românica e repleta de obras do Renascimento, como a cúpula com afrescos de Correggio; e o Batistério octogonal totalmente revestido em mármore rosa e decorado com pinturas e afrescos.

Abadia de San Giovanni Evangelista - O complexo fundado por monges beneditinos em 980 conta com uma igreja cheia de afrescos do século 16, pintados por vários artistas, além de uma biblioteca e três claustros.Mosteiro de San Paolo - Atualmente, o antigo mosteiro abriga um museu com afrescos de Alessandro Araldi e a famosa Camera di San Paolo (ou Camera della Badessa), decorada por uma obra de Corregio.

Palácio della Pilotta - O complexo monumental do final do século 16 é composto por diversos edifícios, onde é possível apreciar coleções e obras artísticas da família Farnese, como o Museu Arqueológico Nacional, a Galleria Nazionale, o Teatro Farnese, o Museu Bodoni e a Biblioteca Palatina.

Teatro Regio - Encomendado pela duquesa Marie Louise durante a década de 1820, este é um dos teatros mais importantes da Itália. Ao longo dos anos, o local foi palco para grandes shows de ópera e dança, concertos e recitais, principalmente os eventos do famoso Festival Verdi, realizado anualmente no mês de outubro.

Basílica de Santa Maria della Steccata - Inaugurada no século 17, a basílica é conhecida por sua enorme cúpula com afrescos e obras dos artistas Bernardino Gatti e Parmigianino. O local também é sede da Sagrada Ordem Constantiniana de São Jorge desde 1718, além de abrigar em seu interior uma herança artística e histórica: o Museo Costantiniano della Steccata. Lá, é possível ver capelas sepulcrais, estátuas de madeira e objetos religiosos.

Casa de Arturo Toscanini - O bairro Oltretorrente também precisa estar na lista de lugares para conhecer em Parma. Foi nesta região que um dos maiores diretores de orquestra nasceu e deixou uma lembrança para os amantes de seu trabalho. A casa de Arturo Toscanini tornou-se um museu, onde são exibidos os móveis e relíquias do artista, como itens e roupas de ópera, além da sala de piano, seu local de nascimento, em 1867.

Parque Ducal - Este é considerado o local ideal para fazer uma caminhada relaxante. Além de suas árvores centenárias, estátuas e fontes, o parque também conta com o antigo Palácio Ducal e o Palazzetto Eucherio Sanvitale, que remontam ao Renascimento.

Castelos medievais - Os lugares inesquecíveis de Parma estão muito além do centro histórico e localizados a poucos quilômetros de distância. Entre eles estão os castelos medievais, como o de Colorno, conhecido como "Versailles da Emilia"; o Castelo Torrechiara, no topo de uma colina; e Rocca Sanvitale, em Fontanellato, onde é possível encontrar afrescos de Parmigianino. 

Palácio del Governatore – Localizado na Piazza Garibaldi, o prédio é responsável por abrigar exposições temporárias de arte moderna e contemporânea. A área externa tornou-se o símbolo da cidade. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA