Família de Michael Jackson rebate acusações de documentário

Sobrinhos alegam que o astro "não teve infância"

Michael Jackson em coletiva de imprensa concedida em 5 de março de 2009
Michael Jackson em coletiva de imprensa concedida em 5 de março de 2009 (foto: EPA)
14:52, 06 AbrWASHINGTON ZLR

(ANSA) - Após a divulgação de novas denúncias de pedofilia envolvendo o astro Michael Jackson (1958-2009), os sobrinhos do "rei do pop" participaram de uma espécie de "contradocumentário" no qual rechaçam as acusações que atingem seu tio.

O caso estourou no início de março, com a transmissão pela HBO do documentário "Leaving Neverland" ("Deixando a Terra do Nunca", em tradução livre), no qual dois homens acusam Michael Jackson de tê-los violentado repetidamente em sua célebre mansão quando eles eram crianças.

Em resposta, os sobrinhos do astro participaram de um vídeo de 30 minutos publicado no YouTube e chamado "'Neverland Firsthand: Investigating the Michael Jackson Documentary" ("Terra do Nunca em Primeira Mão: Investigando o Documentário de Michael Jackson").

A obra é produzida pelo jornalista australiano Liam McEwan e entrevista Taj e Brandi Jackson, que afirmam que seu tio gostava da companhia de crianças porque "não teve infância". "Ele perguntava a mim e meus irmãos sobre como era ter uma festa de aniversário", conta Taj, filho de um dos irmãos de Michael, Tito Jackson.

O vídeo percorre os processos contra o rei do pop, que nunca levaram a condenações, e propõe uma leitura diferente sobre as denúncias feitas por Wade Robson e James Safechuck, que dizem ter sido abusados no início dos anos 1990. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA