Vacina contra zika atinge resultados positivos inéditos

Testes feitos em ratos demonstraram eficácia do fármaco

Campanha no Brasil alerta para prevenção contra mosquito Aedes aegypti, agente disseminador do vírus zika
Campanha no Brasil alerta para prevenção contra mosquito Aedes aegypti, agente disseminador do vírus zika (foto: EPA)
20:46, 11 AbrROMA ZLR

(ANSA) - Os primeiros testes de uma vacina contra o vírus zika desenvolvida por cientistas do Instituto Evandro Chagas, órgão do governo federal sediado em Belém (PA), e da Universidade do Texas, nos EUA, deram resultados positivos.

Em estudo publicado na revista especializada "Nature Medicine", os pesquisadores disseram que o medicamento, aplicado por meio de apenas uma dose, se mostrou "eficaz" e "seguro" em camundongos.

Com uma vacina que usa o vírus vivo, mas atenuado, os cientistas conseguiram inibir completamente o desenvolvimento da doença nos ratos testados. Ao inserir o zika no corpo, o medicamento estimula o sistema imunológico a criar anticorpos para combater a patologia.

"Uma vacina de sucesso exige um equilíbrio correto entre eficácia e segurança: as vacinas à base de vírus atenuados geralmente oferecem imunização com dose única, rápida resposta imunológica e proteção prolongada, mas às vezes com reduzida segurança. Já os vírus inativos oferecem maior segurança, mas podem exigir diversas doses. Uma vacina viva atenuada e segura é ideal para países em desenvolvimento", afirmou Pei-Yong Shi, autor sênior do estudo.

O próximo passo é testar o medicamento em macacos, etapa que deve durar até o fim de abril. Em seguida, talvez ainda em 2017, a vacina será experimentada em humanos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA